A imagem mostra o logo do CREA

A importância do registro do CREA para o Engenheiro Agrônomo

O CREA comprova que o profissional frequentou e concluiu um curso superior reconhecido pelo MEC tanto nas áreas de Engenharia como de Agronomia. O documento, expedido por esse órgão de classe, atesta a aptidão para exercer a função em questão. O curso de Engenharia Agronômica da FAAGROH oferece todo o suporte necessário para que o profissional formado na instituição obtenha esse registro.

Diversas áreas exigem registros para que o profissional possa exercer sua função. Alguns exemplos são os advogados que precisam passar no exame da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB. Os enfermeiros com o registro no Conselho Regional de Enfermagem – COREN, além dos engenheiros, em geral, que contam com o registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA.

Na área da Engenharia, há um destaque para os engenheiros agrônomos. “Eles lidam com projetos agrícolas que, muitas vezes, podem colocar em risco a segurança e o bem-estar das pessoas, por isso a necessidade de um documento que comprove que o profissional está habilitado para desenvolver seu trabalho”, salienta o professor Ronan Pereira Machado, gestor acadêmico do curso de Engenharia Agronômica da FAAGROH (Grupo UniEduK).

Nesse sentido, o CREA comprova que o profissional frequentou e concluiu um curso superior reconhecido pelo Ministério da Educação – MEC tanto nas áreas de Engenharia como de Agronomia. O documento, expedido por esse órgão de classe, atesta a aptidão para exercer a função em questão.

Além disso, sem o CREA, é impossível que o profissional emita a Anotação de Responsabilidade Técnica – ART, documento requerido para ser responsável pelos serviços prestados”, explica o docente.

Em resumo, esse registro é um documento com número de identificação único atribuído a cada trabalhador. Sua finalidade é de fiscalização e regulamentação. Ele serve para garantir que o profissional atenda todas as questões legais relacionadas à carreira que escolheu.

Sabendo da importância desse item no CREA, a FAAGROH oferece toda a formação necessária para que o profissional formado em Engenharia Agronômica obtenha seu registro na categoria.

 “O curso de Engenharia Agronômica da UniFAJ, campus FAAGROH, possui atribuições completas junto ao CREA, ou seja, nossos profissionais podem atuar em todas as áreas atribuídas por lei a um Engenheiro Agrônomo, diferentemente de outras instituições que têm atribuições restritas ou em processo de aprovação ainda”, ressalta professor Ronan.

Regulamentação da profissão

O professor Ronan conta que a Engenharia Agronômica é uma profissão centenária que muito contribuiu e contribui para o desenvolvimento do Brasil.

Ele ressalta que a regulamentação do ensino e da profissão iniciou com a criação do Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio, pelo Decreto 1606 (20/12/1906), cujo órgão tinha também a atribuição para autorizar a oferta do ensino agrícola.

Sua finalidade foi promover o desenvolvimento científico da agricultura, a preparação técnica de profissionais aptos para ocuparem cargos superiores no ministério, cargos de direção dos serviços inerentes à exploração racional da propriedade agrícola e das indústrias rurais, dentre outros.

Foi pela Lei Federal 5.194 de 24.12.1966 que se passou a ter a atual regulamentação do exercício da profissão do Engenheiro Agrônomo, cujas atividades e atribuições profissionais, bem como a fiscalização e atuação profissional em defesa da sociedade, foram descritas, com a criação da configuração do Sistema CONFEA/CREA”, conclui o docente.

Pular para o conteúdo