Imagem mostra o professor Paulo Franga e os alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo em visita técnica à igreja centenária.

Alunos de Arquitetura e Urbanismo visitam igreja centenária para conhecer mais sobre Técnicas Retrospectivas

Em visita à Igreja Matriz de Jaguariúna, estudantes do sétimo semestre de Arquitetura e Urbanismo puderam aprender na prática sobre a arquitetura centenária

Os alunos do sétimo semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo do Grupo UniEduK realizaram uma visita técnica à centenária Igreja Matriz de Jaguariúna. Na oportunidade, os estudantes puderam vivenciar as teorias na prática, com pesquisa prévia sobre a história e também sobre toda a patologia que a edificação apresentava na data da visita.

A atividade foi realizada de forma interdisciplinar, envolvendo as disciplinas “Técnicas Retrospectivas” e “Projeto – Centro Cultural e Intervenção em Edificação de Relevância Histórica”, ministradas pelos professores Paulo Fraga e Jorge Furini, respectivamente. A visita também contou com o acompanhamento da orientadora pedagógica do curso, professora Fernanda Buga, e do Engenheiro Pedro Marquesine, presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Jaguariúna.

De acordo com um dos docentes responsáveis pela visita, professor Paulo Fraga, inicialmente a prática seria realizada na Estação Guedes no início do semestre. Porém, como a edificação havia passado por restauro recentemente, os alunos não poderiam analisar, de fato, características específicas e fundamentais em patologias no estado de conservação necessárias e relevantes, que normalmente são encontradas na prática de um profissional.

Sendo assim, para registrar melhor essa experiência, foi organizada a visita à Igreja Matriz centenária, um importante patrimônio de Jaguariúna. “Foi possível analisar patologias internas tanto nas pinturas das paredes de taipa de pilão como no forro de madeira, além da sua área externa”, comenta o professor.

Após a visita, os estudantes puderam propor as melhorias a serem feitas na edificação. Sobre os benefícios da atividade, o docente Paulo Fraga conclui: “A disciplina Técnicas Retrospectivas não só demonstrou aos discentes como atuar profissionalmente ao se tratar de uma edificação existente e de interesse histórico, como contribuiu na interdisplinaridade, proposta pela faculdade, unindo teoria na prática”.

Pular para o conteúdo