A campanha ocorre das 9h às 13h e faz parte do Programa de Microchipagem Animal ? Sistema Meu Pet, lançado esta semana em parceria com a prefeitura do município.

Alunos de Medicina Veterinária da UniMAX realizam microchipagem de cães em Indaiatuba

Ação ocorre neste sábado, 25 de maio, e faz parte do Programa de Microchipagem Animal – Sistema Meu Pet

Alunos do sétimo semestre do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário Max Planck (UniMAX), em Indaiatuba, participarão neste sábado, 25 de maio, de uma ação de microchipagem em animais do bairro Jardim Brasil. A campanha ocorre das 9h às 13h e faz parte do Programa de Microchipagem Animal – Sistema Meu Pet, lançado esta semana em parceria com a prefeitura do município.

Os alunos realizarão a microchipagem sob supervisão do médico-veterinário e supervisor da Clínica de Pequenos Animais do Hospital Veterinário da UniMAX, Igor Moretto Soffo. Além da ação de microchipagem, será realizada ainda vacinação antirrábica para cães e gatos do bairro.

“Esse tipo de ação é de suma importância para o aluno de Medicina Veterinária, pois permite que ele desenvolva seus conhecimentos na prática, junto à comunidade, ofertando um serviço essencial para o bem-estar animal e para a saúde pública em geral”, salienta.

Sobre Meu Pet

Lançado na última terça-feira, dia 21 de maio, o sistema on-line Meu Pet é interligado ao Minha Indaiatuba e reunirá informações sobre animais microchipados, que poderão ser acessadas tanto por órgãos públicos (CRA e Zoonoses) quanto por clínicas veterinárias e entidades de proteção animal que atuam em Indaiatuba.

O sistema trará informações como o número do microchip e data do registro; nome do animal, espécie, sexo e raça; nome do proprietário, número da Carteira de Identidade (RG) ou outro documento oficial de identificação, e do Cadastro de Pessoa Física (CPF), endereço físico e eletrônico e telefone; nome da pessoa física ou jurídica responsável pela comercialização, permuta ou doação do animal, número do respectivo CPF ou CNPJ, inscrição municipal e licença sanitária, e o termo de consentimento de uso de dados assinado pelo proprietário do animal.

Veterinários e protetores cadastrados poderão utilizar o sistema para informar ao município quando há suspeita de doenças zoonóticas, como a raiva e a leishmaniose. Já as clínicas poderão registrar a aplicação de vacinas. “Só para exemplificar, se um animal microchipado por uma determinada clínica foge e depois é encontrado por outra clínica ou pelo próprio CRA, na grande maioria dos casos, não é possível identificar o proprietário, pois há vários sistemas de cadastros diferentes. A partir do sistema municipal, estamos montando um banco de dados único, por meio do qual qualquer estabelecimento cadastrado poderá acessar as informações e identificar os dados referentes à saúde e ao tutor desse animal”, destaca o médico-veterinário do CRA, Adriano Mayoral.

O médico-veterinário da UniMAX ressalta ainda que a microchipagem traz inúmeros benefícios. Entre eles está o abandono de animais, cenário que atualmente no Brasil conta com 185 mil cães e gatos abandonados ou resgatados. Confira outros benefícios da microchipagem:

  • Identificação permanente do animal
  • Localização de animais perdidos
  • Prevenção contra roubo/furto de animais
  • Responsabilidade do tutor com a qualidade de vida do animal
  • Banco de informações essenciais para definição de políticas públicas voltadas ao bem-estar animal.
Pular para o conteúdo