As atribuições do Engenheiro Agrônomo para a cultura do morango

Com um mercado em ascensão, entre o grupo das pequenas frutas, o morangueiro é a espécie mais explorada no Brasil. A cultura do morango no País vem se expandindo a cada ano, representando, atualmente, cerca de 40% da área total de produção na América do Sul, o que corresponde a aproximadamente 3.500 ha. A demanda anual por mudas de morango no Brasil é de aproximadamente 175 milhões de plantas.

Dentre as inúmeras atribuições de um profissional formado em Engenharia Agronômica estão as relacionadas à cultura do morango.  O professor Ronan Pereira Machado, gestor do curso de Engenharia Agronômica da FAAGROH (Grupo UniEduK), considera que um dos motivos para esse mercado ser tão promissor, é devido a fruta possuir características que atraem os consumidores, como a cor, de um vermelho-vivo, além de aroma e sabor inigualáveis.

Entre o grupo das pequenas frutas, o morangueiro é a espécie mais explorada no Brasil. A produção de morango no País vem se expandindo a cada ano, representando, atualmente, cerca de 40% da área total de produção na América do Sul, o que corresponde a aproximadamente 3.500 ha. A demanda anual por mudas de morango no Brasil é de aproximadamente 175 milhões de plantas”, explica o docente.

O professor Ronan destaca algumas contribuições que o engenheiro agrônomo pode dar à cultura do morango em expansão no país:

  • Atuar em todas as etapas do processo de produção da cultura do morango, desde o planejamento, produção propriamente dita, processamento e comercialização, respeitando o manejo e uso sustentável dos recursos naturais;
  • Desenvolver novas variedades de morango, tecnologias de produção e biotecnologia, relacionada a cultura;
  • Analisar problemas e propor soluções objetivas de ordem técnica, gerencial, organizacional e operacional na produção do morango; entre outras.

Em virtude de inúmeros atributos, tornou-se uma ótima opção de negócio para a cadeia produtiva nos mercados local e global. A cultura apresenta grande importância socioeconômica, uma vez que a maioria das áreas de cultivo do morango está situada em propriedades com base na agricultura familiar, o que pode significar maior renda para as famílias, maior geração de empregos e um convite à fixação do homem no campo”, destaca o gestor acadêmico.

O professor comenta também que para a implantação da cultura do morangueiro, deve-se levar em conta, entre outros aspectos, o nível tecnológico a ser adotado. O morangueiro pode ser cultivado: no solo (com ou sem o uso de cobertura plástica), em túneis baixos, em estufas ou pelo sistema hidropônico.

A escolha do sistema produtivo depende do perfil do agricultor e das exigências do mercado que pretende alcançar. No Brasil, o sistema produtivo do morangueiro tem evoluído muito. O sistema de cultivo dessa cultura, tradicionalmente produzida no campo, foi modificado, passando a ser produzida também em ambiente protegido especialmente em túneis ou estufas plásticas”, salienta.

Ele enfatiza, ainda, que para que as plantas expressem o seu potencial produtivo, é necessário que condições adequadas de cultivo sejam proporcionadas e que seja feito o monitoramento sistemático da lavoura a fim de que sejam adotados os procedimentos necessários.

O docente cita que as principais práticas para obter elevada produtividade são:

  • Escolha do local;
  • Rotação de culturas;
  • Adubação de base;
  • Preparo do canteiro;
  • Observação das técnicas de plantio;
  • Controle de invasoras;
  • Avaliação das condições climáticas;
  • Época de plantio das mudas;
  • Proteção de mudas contraventos fortes e densidade adequada de plantio.

Segundo o professor, existem diferente tipos de sistemas de produção de morango, que variam conforme o meio onde se desenvolvem as raízes. Eles são classificados em três grupos:

  • Sistemas hidropônicos propriamente ditos: são aqueles nos quais as raízes entram em contato direto com a água e os nutrientes;
  • Sistemas semi-hidropônicos: são aqueles nos quais o cultivo é feito em substrato sólido, inerte e poroso;
  • Sistemas aeropônicos: são aqueles em que as raízes entram em contato com a solução nutritiva em forma de suspensão pulverizada, mediante nebulizadores ou aspersores.

Por fim, para que todo esse trabalho seja feito de forma adequada é essencial a orientação de um profissional de Engenharia Agronômica. Portanto, para aqueles que desejam se profissionalizar na área, a FAAGROH está com inscrições abertas para o Vestibular – Turmas de Agosto.

Para isso, o interessado deve se inscrever pelo link – https://processoseletivo.grupounieduk.com.br. As inscrições são gratuitas.

O Vestibular pode ser realizado de forma on-line a qualquer momento e de qualquer lugar. Já para aqueles que desejarem, há a opção de realizar a prova presencialmente. O Vestibular PRESENCIAL acontece no dia 24 de junho (sábado). O horário será divulgado posteriormente.

Também há a possibilidade utilizar a nota do ENEM ou ENCCEJA. Nesse caso, não é preciso fazer o Vestibular.

Pular para o conteúdo