A imagem mostra momentos da aula magna que abordou metodologia de Projeto de Arquitetura

Aula Magna trata sobre Metodologia de Projeto de Arquitetura

Para a abordagem do tema, o curso de Arquitetura e Urbanismo da UniFAJ convidou o Professor Wilis Tomy Miyasaka, arquiteto e urbanista, mestre em Projeto, Produção e Gestão do Espaço Urbano e especialista em Design de Ambientes, que esteve entre os responsáveis pelo projeto arquitetônico reconhecido com menção honrosa no concurso para o Museu Marítimo do Rio de Janeiro e o vencedor do concurso para um painel para o presídio de Lenzburg, na Suíça.

A Aula Magna do curso de Arquitetura e Urbanismo da UniFAJ (Grupo UniEduK) abordou o tema Metodologia do Projeto de Arquitetura. Para isso, foi convidado o arquiteto e urbanista Wilis Tomy Miyasaka. O profissional é formado em Arquitetura e Urbanismo, Especialista em Design de ambiente e Mestre em Projeto, Produção e Gestão do Espaço Urbano.

Wilis atua como professor universitário e tem uma respeitosa produção arquitetônica, tendo sido premiado em um concurso internacional para a elaboração de um painel de 40 metros extensão para o presídio de em Lenzburg, na Suíça. Além disso, recebeu menção honrosa no concurso para o Museu Marítimo do Rio de Janeiro, no qual apresentou o processo de desenvolvimento do projeto.

Durante a Aula Magna, Willis falou sobre sua trajetória profissional e contou sobre o processo desse projeto para o concurso, no qual a equipe se inscreveu faltando poucas semanas para a entrega.

Era final de semestre e, como todo professor, ele estava com muitas atividades e prazos apertados, só após o período de finalização acadêmica é que a equipe de arquitetos se reuniu e decidiu pela inscrição no concurso”, conta a orientadora pedagógica, professora Fernanda Buga.

Ela explica também que um projeto de arquitetura do tamanho e da complexidade exigidas pelo edital só poderia ser feito a muitas mãos e com um grupo de especialistas. “A equipe foi, ao mesmo tempo, desenvolvendo o projeto e entrando em contato com os especialistas parceiros e consultores no desenvolvimento deste projeto, o que foi um desafio de gestão”, diz a docente.

A professora relata que Wilis então apresentou os principais pontos do edital, os maiores desafios encontrados na proposta, o entorno urbano do projeto e os pontos que eles gostariam de tomar como conceito para o desenvolvimento arquitetônico.

Fernanda acrescenta que foi feito o estudo do programa de necessidades, a criação de um organograma que direcionou o primeiro desenho dos fluxos entre os ambientes. Para essa proposta foram criados dois blocos que se uniam através do térreo e de uma grande cobertura que partia do conceito adotado. A volumetria do projeto, assim como parte das soluções foram alteradas várias vezes, sempre buscando um resultado mais funcional e estético. Em paralelo, foram discutidas as questões estruturais, de acesso, materiais, entre outros, sendo que o palestrante guiou os alunos através da lógica das soluções escolhidas.

Para os alunos, é muito importante conhecer diversas metodologias de projeto, já que a maior dificuldade deles é sair da folha em branco, começar a esboçar as primeiras linhas do projeto e manter o conceito coerente do início ao fim”, ressalta a orientadora pedagógica do curso.

Por fim, ela acrescenta que o palestrante mostrou ainda de que forma os conhecimentos aprendidos em sala de aula dentro de diversas disciplinas são utilizados na elaboração de um único projeto, nada do que é aprendido é em vão. Os alunos elogiaram o trabalho e a apresentação ressaltando a importância desse tipo de discussão para a construção do conhecimento deles.

Pular para o conteúdo