Curso de Medicina Veterinária apresenta técnicas de amostragem de alimentos secos e úmidos

Durante a disciplina de Nutrição Animal e Forragicultura, a professora Kátia Feltre realizou a amostragem de alimentos secos e úmidos

Em mais uma das 1700 aulas práticas promovidas, mensalmente, pelo Grupo UniEduK em suas unidades, os alunos do curso de Medicina Veterinária tiveram a oportunidade de aprender sobre a amostragem de alimentos secos e úmidos.

De acordo com a professora Kátia Feltre, que ministra a disciplina Nutrição Animal e Forragicultura, a amostragem de alimentos é a prática que consiste em obter uma porção representativa de um determinado lote daquele alimento, objetivando o conhecimento de sua qualidade.

A finalidade da amostragem é obter uma amostra de tamanho adequado para os testes, na qual estejam presentes os mesmos componentes do lote a ser classificado e em proporções semelhantes. Amostra é parte, porção, fragmento ou unidade de produto natural ou fabricado, sem valor comercial e destinada a indicar a sua natureza, qualidade e tipo do produto”, explica.

Orientados pela professora, os alunos da UniFAJ em Jaguariúna puderam conhecer as várias técnicas de amostragem de grãos em galpões, caminhões e sacarias, bem como a amostragem de alimentos volumosos conservados como a silagem, o feno e o pré-secado. “A prática consistiu em realizar amostragem de ração farelada em sacarias com o uso de caladores, amostragem e visualização da qualidade de feno e o processo de quarteamento de silagens”, destaca a docente.

Kátia comenta, ainda, a importância do tema para os estudantes e para a sociedade. “Com relação à amostragem de grãos ou rações, o profissional pode atuar em empresas produtoras de alimentos para animais, junto ao departamento de controle de qualidade, fiscalizando a matéria-prima que chega à fábrica e tomando decisões para aprová-la ou não. A amostragem desse material é o primeiro passo no processo de produção de alimentos, e que deve ser realizado com muito critério, pois a qualidade da matéria-prima que entra na fábrica terá impacto direto na qualidade do produto final que vai para o consumidor”, diz.

A docente acrescenta: “Já com relação à amostragem de alimentos volumosos conservados (silagens, fenos e pré-secados), o aluno aprende a realizar amostragens com o objetivo de verificar a qualidade do produto bem como fornecer uma alimentação balanceada e segura aos animais, otimizando o uso dos alimentos com máxima eficiência econômica”, conclui.

 

Confira notícias do Grupo UniEduK
Pular para o conteúdo