Curso de Nutrição desenvolve projeto sobre a importância dos primeiros 1100 dias de vida

“Importância dos primeiros 1100 dias de vidas” é o nome do projeto realizado pelo curso de Nutrição nos postos de saúde de Indaiatuba e Jaguariúna com parceria com a UniMAX e com a UniFAJ. O público atendido são gestantes, tentantes, puérperas, mães e pais com os filhos de até dois anos de idade.

Em mais uma ação de promoção da saúde, o curso de Nutrição do Grupo UniEduK desenvolve o projeto “Importância dos primeiros 1100 dias de vida”. A parceria é realizada entre UniMAX, UniFAJ e as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Indaiatuba e Jaguariúna.

O projeto oferece diversas atividades de orientação sobre a alimentação desde o planejamento da gestação até os dois anos da criança. Por isso, o público atendido contempla gestantes, tentantes (mulheres e homens), puérperas, mães e pais com os filhos de até dois anos de idade.

Está comprovado, na literatura científica, os diversos benefícios para as mães e crianças em seus 1100 primeiros dias de vida, como imunização, proteção contra obesidade e Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTs), entre outros”, afirma o gestor acadêmico do curso de Nutrição, professor Alexandre de Oliveira Camargo.

Os alunos do quinto e sétimo semestres do curso estão envolvidos no projeto. Com isso, eles têm a oportunidade de vivenciar e interagir na prática com o público materno e infantil.

Para isso, os estudantes são orientados pelos professores e suas disciplinas: Izabella Tesoto Loscalzo (Nutrição Materno Infantil e Adolescente); Amanda Gobato (Nutrição Clínica I); Guilherme Ugeda (Fisiopatologia Aplicada à Nutrição), Lais de Faria Fonseca e Ana Laura Prado (Estágio Supervisionado em Nutrição Social).

O gestor acadêmico explica que o trabalho é dividido em fases:

  1. Pré-concepção (tentante homem e mulher): São trabalhados os temas programação metabólica (peso, doenças, microbiota etc.), alimentação saudável, suplementação prévia, mapeamento de deficiências nutricionais, entre outras;
  2. Gestação: Gestante saudável (necessidades nutricionais, suplementação) e gestante de risco (distúrbio hipertensivo específico da gestação, diabetes gestacional, anemias nutricionais, hiperêmese, baixo peso e excesso de peso).
  3. Lactação: Importância, formação de microbiótica, dificuldades, dados epidemiológicos, manejo das dificuldades, fisiologia, psicofisiologia da lactação.
  4. Alimentação complementar: Sinais de prontidão (aspectos fisiológicos) para iniciar, alimentação saudável no primeiro ano, aspectos comportamentais da fase, suplementação da fase, alimentos indicados e contraindicados, métodos de introdução da alimentação complementar.

O projeto está em sintonia com o ODS 3, dentro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas, pois busca assegurar o acesso à saúde de qualidade e promover o bem-estar. Além disso, contribui também com a redução da mortalidade materna, infantil e prematura.

Pular para o conteúdo