Direito das Mulheres: Curso de Psicologia reflete sobre questões lançadas pelo CFP

Em alusão ao Dia Internacional da Mulher, o curso de Psicologia do Grupo UniEduK promoveu atividades relacionadas à complexidade dos Direitos das Mulheres com base nas reflexões incentivadas pelo Conselho Federal de Psicologia. A ação envolveu alunos do sétimo semestre orientados pela professora Luciana Gomes Almeida de Souza na disciplina Psicologia e Processos Grupais

A data de 8 de março, Dia Internacional da Mulher, foi marcada por um convite do Conselho Federal de Psicologia – CFP. A proposta foi trazer à tona a complexidade do tema “Direitos das Mulheres”, além de convidar toda a categoria profissional para ampliar a luta por igualdade.

Entendendo a importância dessa ação, os alunos do curso de Psicologia da UniFAJ (Grupo UniEduK) foram incentivados à reflexão pela professora Luciana Souza que leciona a disciplina Psicologia e Processos Grupais para o sétimo semestre da graduação.

Segundo a docente, alguns temas áridos foram elencados pelo CFP, tais como:

  • O fato de a profissão de Psicologia ser formada em 80% por mulheres;
  • As implicações psicossociais de estigmas e preconceitos de mulheres em situação de rua;
  • A percepção de profissionais sobre o atendimento em saúde de mulheres usuárias de crack;
  • Os relacionamentos afetivo-sexuais de mulheres encarceradas em presídios mistos brasileiros;
  • As mulheres indígenas e as possíveis articulações entre gênero e política;
  • As diretrizes políticas da psicologia para o exercício profissional no tema da violência contra mulheres;
  • A psicologia, saúde sexual e saúde reprodutiva em sua urgência para a formação da nossa categoria profissional.

A professora conta que, a partir disso, os alunos trabalharam frases que representam o cotidiano da vida da mulher e, com isso, os estudantes exploraram conceitos, preconceitos e questões culturais.

O objetivo foi experienciar sentimentos suscitados ao ouvir situações delicadas e complexas que as mulheres enfrentam no dia a dia, ampliando o repertório de discussão, despertando empatia e engajamento na luta”, ressalta Luciana.

Por fim, a docente destaca que foi montado um painel com as contribuições para a continuidade das reflexões lançadas pelo CFP. O objetivo foi expressar o compromisso social da turma.

Fica o convite para a ampliação desse painel para outras turmas. Parabenizo os alunos do sétimo semestre que participaram produzindo reflexões criativas, afetivas e mobilizadoras”, finaliza a docente.

Pular para o conteúdo