Drone agrícola: tecnologia que irá impulsionar o Agronegócio nos próximos anos

A FAAGROH – Faculdade de Agronegócios de Holambra dispõe de um drone agrícola EFT 610, certificado e habilitado pela ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações) e homologado na ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). O equipamento está disposição dos alunos do curso de Engenharia Agronômica, que podem utiliza-los nas aulas práticas, Projetos de Iniciação Científica (PIC) e Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC.

O drone agrícola, também chamado de veículo aéreo não tripulado, é uma inovação recente na agricultura brasileira. Sua regulamentação pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) veio pela Portaria 298 apenas em 2021. A tecnologia é considerada uma contribuição essencial para o desenvolvimento do segmento.

Segundo o Mapa, o drone é destinado à aplicação de agrotóxicos e afins, adjuvantes, fertilizantes, inoculantes, corretivos e sementes. Para ser utilizado precisa de registro no Mapa. Além disso, é necessário que o operador tenha um curso específico, designado como aplicador aeroagrícola remoto. Em alguns casos, necessitam também de responsável técnico, engenheiro agrônomo ou engenheiro florestal, para coordenar as atividades.

O drone agrícola já é realidade no Brasil. Ele cumpre funções como as de coleta de fotos e dados para análises e aplicação de insumos. Estima-se que existam 1,5 mil drones de uso agropecuário cadastrados na Agência Nacional de Aviação Civil no Brasil; a China, em comparação, utiliza mais de 100 mil no setor”, salienta o professor Ronan Pereira Machado, gestor acadêmico do curso de Engenharia Agronômica.

Diante disso, a FAAGROH – Faculdade de Agronegócios de Holambra (Grupo UniEduK) possui um drone agrícola EFT 610. Além do registro no Mapa, o equipamento é certificado e habilitado pela ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações) e homologado na ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil).

O aparelho conta com controlador T12 com tanque de capacidade de 10 litros e autonomia de 30 minutos de voo. Ele pode ser utilizado pelos alunos nas aulas práticas, Projetos de Iniciação Científica (PIC) e Trabalhos de Conclusão de Cursos (TCCs).

O professor salienta que o desenvolvimento e adoção de tecnologias inovadoras é imprescindível para a expansão da agricultura. “Não apenas para mecanizar a produção e diminuir os custos, mas também para gerar soluções para os problemas que aparecem”, acrescenta.

Segundo ele, a FAO (Food and Agriculture Organization – Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) estima que a produção de alimentos mundial precisará aumentar em 70% até 2050. Tudo isso para poder alimentar as quase 10 bilhões de pessoas que vão compor a população mundial até essa data. Por isso, o drone agrícola se torna um forte aliado na busca por esse objetivo.

O Brasil é o terceiro maior produtor de alimentos mundial e o segundo em exportação e para conseguir atender as demandas mundiais futuras e se tornar protagonista nesse cenário, o agronegócio brasileiro precisará modernizar boa parte dos setores produtivos para o aumento da produtividade, qualidade e sustentabilidade de sua produção”, enfatiza o gestor acadêmico.

Sendo assim, o drone agrícola disponibilizado pela FAAGROH propicia um diferencial na formação de seus alunos. “Com isso, os nosso futuros Engenheiros Agrônomos acabam tendo mais destaques no mercado do Agronegócio por terem a possibilidade de dominarem esse tipo de tecnologia”, conclui o docente.

Pular para o conteúdo