A imagem mostra os alunos do Grupo UniEduK que foram selecionados para a próxima Etapa do QQSU 2021, autores do Eletro Help.

Em mais de mil inscritos, alunos do Grupo UniEduK ficam entre os 81 selecionados para o QQSU 2021

Esquenta do QQSU – Quem Quer ser Um Unicórnio, evento de empreendedorismo promovido pela Voe sem Asas segue até dia 04/11

Com o projeto Eletro Help, alunos do curso de Logística do Grupo UniEduK conquistaram um dos 81 lugares entre quase mil inscritos no evento QQSU 2021 – Quem Quer Ser Um Unicórnio, promovido pela Voe Sem Asas, aceleradora de (intra)empreendedores. Essa é a primeira vez que um projeto do Grupo UniEduK alcança essa fase. 

A seleção garantiu aos estudantes o “Golden Ticket”, portanto, um valor de R$2.700,00 referente ao ingresso no evento. Além disso, eles foram classificados em primeiro lugar na RMC – Região Metropolitana de Campinas,  bem como do Circuito das Águas. 

“Foi muito legal a notícia de que tínhamos sido selecionados. A princípio, ficamos felizes, foi uma surpresa, mas a maior surpresa veio depois, quando vimos a complexidade, o tamanho e a quantidade de pessoas [concorrendo] com a gente e conseguimos ser selecionados entre esses 81. Foram quase mil pessoas do Brasil inteiro”, revela um dos alunos componentes do Grupo Eletro Help, Bruno Cardozo. “Desde o início, demos o nosso melhor e fomos recompensados”, acrescenta. 

 

SOBRE O QQSU 2021

Primeiramente, até o dia 04/11, os selecionados participam do Esquenta QQSU com a finalidade de prepará-los para o evento. Nesse sentido, são disponibilizados conteúdos digitais como metodologias ágeis, IOT, análise de métricas (data analytics), entre outros temas, a fim de que todos os participantes possam descobrir e aprofundar conhecimentos.

“Nesse momento do Esquenta, as startups estão participando de lives e vão apresentar o pitch do negócio para uma banca, sendo que dos quatro avaliadores, pelo menos um deles tem que aprovar para irem para a fase seguinte, quando sobrarão apenas oito projetos, sendo dois de cada área: Inovação, Serviços, Impacto e Educação”, explica o professor responsável pelo Grupo Eletro Help, Rafael Ferraresso. 

Se aprovados, os estudantes de Logística concorrerão a um prêmio de R$80 mil para investir na startup. Para isso, continuam a contar com a orientação do docente, que tem feito a preparação dos alunos para a apresentação do pitch e aprimoramento do projeto. 

“O projeto academicamente já é um sucesso, assim como os outros projetos orientados, e ainda tem uma viabilidade imensa de se tornar realidade, inclusive já levantamos os valores para se criar a empresa efetivamente e  temos um pós-projeto para transformá-lo em uma rede de franquias de assistência técnica de eletroeletrônicos”, salienta o professor. 

O aluno Bruno Cardozo também está otimista. “Hoje a Eletro Help saiu do papel, graças aos ensinamentos e à ajuda do Grupo UniEduK. Não vamos tentar, nós vamos trazer, se não ficarmos em primeiro, vamos trabalhar forte para ficar entre os finalistas. Vamos mostrar do que somos capazes e aonde o Grupo UniEduK pode chegar”, afirma. 

 

SOBRE O ELETRO HELP

O projeto Eletro Help é de autoria dos  alunos do quarto semestre de Logística – Eduardo Baruch, Vagner de Jesus, Adriano Dias, Bruno Cardozo e João Fábio Beloto.

De acordo com o professor Rafael, os grupos foram orientados a montar projetos relacionados ao curso, e o nome vem do propósito da startup, que é ajudar os usuários no conserto de eletroeletrônicos.

O processo teve início em sala de aula com discussões da criação de uma empresa totalmente on-line, mas com total aderência ao curso de cada grupo. Os alunos foram estimulados a criar algo que fosse ao encontro de uma demanda ou dor do mercado, não apenas para ‘cumprir tabela’ e sim que fosse útil, viável e factível. A ideia de ajudar o consumidor a fazer manutenção preventiva e corretiva em seus eletros e de indicar assistência de confiança, veio de várias rodadas de brainstorming entre mim, como professor, 2 os alunos, fato que se repetiu em todos os grupos”, conta o docente. 

Só para exemplificar, o professor destaca que: “Na questão do projeto, eles adquirem inúmeras habilidades e competências como trabalho em equipe, criatividade, inovação, comunicação, desenvolvimento de mídias sociais, como estruturar uma empresa,  desenvolvimento e execução de layout de site, levantamento de custos para montar uma empresa, empreendedorismo, entre outras”

A participação no projeto faz com que os alunos tenham a autoestima elevada, sintam a adrenalina de participarem de uma competição em nível nacional, desenvolvam habilidade de comunicação, aprendam como o mercado se relaciona com as empresas e ganham status diferenciado”, acrescenta o docente. 

Por fim, o professor salienta a importância de um evento desses na carreira dos alunos. “Os alunos têm um ganho único, já que enriquecem o currículo profissional por avançarem em um concurso desse porte, ganham mais confiança para serem empreendedores ou intraempreendedores”, conclui.

Pular para o conteúdo