A imagem mostra o enjoo em cães em viagens

Enjoo em cães: Grupo UniEduK dá dicas sobre o tema ao Vida de Bicho da Globo

A médica-veterinária, Aline Ambrogi Franco Prado, docente do curso de Medicina Veterinária do Grupo UniEduK falou sobre o motivo do enjoo em cães em viagens de carro, avião, barco e até em elevadores. Além de explicar sobre o problema e dar dias de prevenção, tratamento e remédios com prescrição médica que podem ajudar na situação. O texto foi publicado pelo Portal Vida de Bicho da Globo.

Confira o texto do Portal Vida de Bicho da Globo na íntegra:  

Saiba por que os cães enjoam em viagens de carro e como evitar a situação

Segundo veterinários, doença é chamada de cinetose e é mais comum em filhotes

A cena é recorrente: basta colocar o pet no carro e andar alguns minutos e logo o animal está vomitando no banco traseiro. Nessas horas, alguns tutores podem ficar irritados e dar bronca no bicho, mas saiba que ele não faz por querer.

“Assim como ocorre com os humanos, é comum os cães passarem mal ao andar de carro. Isso pode acontecer também em viagens de avião, barco e até mesmo em elevadores. Quando isso ocorre no automóvel, chamamos de cinetose”, diz a médica-veterinária Aline Ambrogi Franco Prado, docente do curso de Medicina Veterinária do Grupo UniEduK.

Cinetose

Segundo a veterinária, Laís Alves Campos, do hospital Vet Popular, a cinetose acontece devido a uma confusão do sistema vestibular, responsável pelo equilíbrio do animal.

“Ela se baseia em uma perturbação causada pelo movimento do ambiente quando o corpo está parado. Assim, a cinetose é mais comum em filhotes, visto que eles ainda não têm o costume de andar de carro e o sistema vestibular está em processo de amadurecimento. Porém, o problema também ocorre em cães idosos devido a problemas de saúde secundários.”

Prevenção e tratamento

Segundo as veterinárias, não existe tratamento específico para cinetose. Contudo, é possível prevenir o problema.

“O carro deve estar bem ventilado, com os vidros abertos ou usando o ar condicionado. Também é importante o uso de caixas de transporte ou cinto de segurança para pets, pois o animal fica mais seguro e imóvel no banco, evitando o enjoo”, aconselha Aline.

Também é importante evitar alimentar o animal algumas horas antes de sair de carro, bem como maneirar na velocidade, especialmente em curvas, que é quando os sintomas são mais favorecidos.

“Faça pequenas paradas durante o percurso para o descanso do animal e evite viajar nos horários mais quentes do dia. Os cães podem desenvolver ansiedade para andar de carro devido ao mal-estar, portanto é importante fazer treinamentos com reforço positivo desde filhote para que eles se acostumem com os passeios”, acrescenta Aline.

Se mesmo com todos os cuidados, o pet passar mal, a dica é parar e deixá-lo se recuperar por alguns minutos.

“Caso ele vomite durante a viagem, o ideal é parar o carro, deixar o animal andar um pouco em ar livre e não oferecer água ou algum tipo de alimento”, recomenda Laís.

Limpar o carro é outra providência que deve ser tomada quanto antes. “Não fique bravo caso o animal vomite, isso faz com que ele faça uma associação negativa ao andar de carro. É importante ainda higienizar o veículo, pois o cheiro pode estimular ainda mais o enjoo”, lembra Aline.

Remédios

Muitos tutores recorrem a medicamentos contra enjoos na hora de levar o pet para viajar. De acordo com as profissionais, eles realmente podem ajudar, contudo, a prescrição não deve ser feita por conta própria, mas, sim, por um médico-veterinário.

“Existem medicações em forma de comprimidos ou injetáveis que podem ser usadas para evitar a cinetose, quando, além do enjoo, o pet apresenta mal-estar, respiração ofegante e salivação excessiva. O animal deve tomar algumas horas antes da viagem, conforme orientações do médico-veterinário”, finaliza Aline.

Crédito: Portal Vida de Bicho/Globo

Pular para o conteúdo