A imagem mostra um cachorro com espirro reverso

Espirro reverso em cães: Grupo UniEduK contribui com Portal Metrópoles

A médica-veterinária Aline Ambrogi Franco Prado, professora do Grupo UniEduK, falou sobre espirro reverso em cães. Ela explicou se a situação é preocupante, em quais raças isso é mais comum de acontecer, além de como evitar.  O texto foi originalmente publicado pela coluna Pets do site Alto Astral e compartilhado pelo Portal Metrópoles, parceiro da página. O Portal Terra e o Jornal da Franca também publicaram sobre o tema. 

Confira o texto do Portal Metrópoles na íntegra:

Veterinária desmistifica o espirro reverso, reação comum em cães 

A reação é comum em cachorros em situações de excitação e ansiedade. Veja como proceder quando o espirro reverso acontecer

É comum que os cães apresentem o chamado espirro reverso, reação que ocorre quando o bichinho leva o ar para dentro dos pulmões ao invés de soltá-lo. Nesses casos, os pets podem apresentar uma reação parecida com um engasgo, tosse intensa ou sufocamento, assustando os tutores.

Apesar de assustar de início, o espirro reverso, por si só, não é um motivo de preocupação. De acordo com a veterinária Aline Ambrogi Franco Prado, essa é uma reação simples e que não apresenta perigo à saúde do cachorro.

Docente do curso de medicina veterinária do Grupo UniEduK, ela diz que o espirro reverso é especialmente comum em certas raças. “Raças pequenas são as mais acometidas, como shih tzu, lhasa apso, pinscher e yorkshire. Os cães braquicefálicos (com focinho achatado) também são predispostos. Exemplos dessas raças são os pugs e buldogues”, explica Aline.

Sobre os momentos em que o espirro reverso pode ocorrer, a profissional diz que isso varia. No entanto, situações de excitação e ansiedade podem desencadear essa reação mais facilmente. Além disso, o momento de beber algum líquido também traz mais probabilidade de a reação acontecer.

 

Quando se preocupar?

Segundo Dra. Aline, o espirro reverso não é motivo para muita preocupação e costuma durar pouco. “Ele não costuma durar mais que 3 minutos e normalmente o animal volta ao normal sem necessitar de interferência”, comenta. Por isso, pouco depois do episódio o seu cão tende a voltar ao normal e seguir o seu dia sem nenhum tipo de interferência na sua respiração e qualidade de vida.

Agora caso seu cão apresente outros sintomas além do espirro reverso, é hora de se preocupar. “Caso algum outro sinal mais grave apareça, o recomendado é procurar um médico-veterinário de confiança para a realização de exames mais específicos, como por exemplo raio-X”, orienta a especialista.

 

E como evitar?

Para evitar o espirro reverso e se poupar do susto, uma boa dica, segundo a médica-veterinária, é acalmar o animal em momentos de ansiedade, como a chegada do dono em casa ou a hora da comida. Isso torna a reação bem menos provável.

 

Crédito: Portal Metrópoles, Alto Astral, Portal Terra e Jornal da Franca.

Pular para o conteúdo