A imagem mostra a professora Ana Letícia que falou sobre a linguagem e o rabo do gato e a linguagem

Grupo UniEduK contribui com artigo da Abinpet sobre rabo do gato e a linguagem

Ana Letícia Rubello, médica veterinária e supervisora da Clínica de Pequenos Animais do Hospital Veterinário do Grupo UniEduK, falou sobre a linguagem e o rabo do gato ao site Melhores Amigos, iniciativa das indústrias do setor pet, conduzida pela Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet)

Confira o texto do site Melhores Amigos da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) na íntegra:

Rabo do gato: o que essa linguagem quer dizer sobre os felinos?

“Se meu pet falasse…” Essa frase já passou pela cabeça de muitos donos, mas o que nem todos sabem é que os animais têm outras formas de expressão que podem nos ajudar a identificar o que eles estão sentindo. No caso dos gatos, o movimento do rabo é uma das linguagens que nos ajuda a identificar medo, desconforto, afeto e outros comportamentos.

“Quando o rabo está ereto com os pelos para baixo, é um indicativo de que o animal está em alerta, porém, se o rabo estiver na mesma posição com os pelos eriçados pode significar que o animal está assustado e pode tentar se defender”, exemplifica Ana Letícia Rubello, médica-veterinária e supervisora da Clínica de Pequenos Animais do Hospital Veterinário do Grupo UniEduK.

Uma simples mudança no movimento da cauda pode indicar comportamentos opostos. Por exemplo, se o animal está balançando o rabo com movimentos longos, é um sinal de relaxamento e estado de curiosidade. No entanto, se o movimento for rápido e curto, o gato pode estar ansioso. Já o rabo arqueado ou entre as patas pode indicar estresse ou apreensão.

Embora o rabo seja um importante indicativo do humor dos felinos, não presuma nada antes de observar outras linguagens e conhecer o seu pet – cada um tem características únicas. Os animais possuem várias ferramentas de comunicação e, assim como os humanos, podem ser sentimentos complexos que refletem em mais de um comportamento.

“Outras linguagens corporais dos gatos são as orelhas – que podem ficar tortas quando estão curiosos –, a vocalização, incluindo o ronronar; as pálpebras – se estão abertas ou fechadas – e até a dilatação da íris. Os pelos também são um importante meio de comunicação, já que se ficam repentinamente eriçados, incluindo a cauda, sugere medo ou agressividade”, adiciona Ana Letícia.

Crédito: Rabo do gato: o que essa linguagem quer dizer sobre os felinos?

Pular para o conteúdo