Os alunos dos cursos de Saúde da UniFAJ atuam de forma voluntária no Núcleo de Telemedicina para Monitoramento da Dengue

Hub da dengue é iniciativa inédita no combate à epidemia

UniFAJ e Prefeitura Municipal de Jaguariúna inovam na criação do núcleo de monitoramento da doença

Com a epidemia da dengue e o crescente número de casos positivos da doença, o Centro Universitário de Jaguariúna (UniFAJ), em parceria com a Prefeitura Municipal de Jaguariúna, lança o primeiro Núcleo de Telemedicina para Monitoramento da Dengue.

Também chamado de “hub da dengue”, a iniciativa multisetorial tem o objetivo de monitorar os pacientes positivados com dengue ou com suspeita da doença e, assim, promover um tratamento adequado reduzindo os casos de óbito.

A operação do hub teve início em 12 de fevereiro e completou 396 atendimentos na primeira semana. Já na segunda semana, 446 pessoas foram monitoradas. Nesta quinta-feira, 25 de abril, o diretor geral da UniFAJ, professor Flávio Pacetta, e a coordenadora do hub e docente do curso de Medicina da UniFAJ, Fernanda Penatti, receberam o prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, para acompanhar as atividades desenvolvidas na UniFAJ.

De acordo com Pacetta, o núcleo é de extrema importância para a capacitação dos alunos do centro universitário e para a população. “Este projeto, inédito no Estado de São Paulo, traz o aluno para o atendimento direto, próximo aos pacientes, e isso faz com ele se desenvolva mais ainda”, declara. “O aluno também coloca em prática o que prevê nosso programa pedagógico, que é a realização de pelo menos um projeto social em cada curso”.

O hub da dengue é um projeto multisetorial. “Temos vários cursos envolvidos, não somente os da Saúde, como Medicina, Farmácia e Enfermagem, mas também o de Tecnologia e Informação, que montou nosso centro de atendimento em tempo recorde, com o sistema oferecido pela Prefeitura”, destaca o diretor geral da UniFAJ.

Para a coordenadora do hub, Fernanda Penatti, a resposta da população tem sido extremamente positiva. “A adesão dos pacientes tem sido muito boa e gratificante para nós, que nos orgulhamos de poder dar para a sociedade os benefícios da integração do sistema de educação com o de saúde da nossa cidade”, diz.

O prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, destaca o resultado positivo do núcleo para o sistema municipal de saúde. “Com o telemonitoramento conseguimos desafogar as Unidades de Pronto Atendimento, já que muitas vezes as pessoas não têm a necessidade de se deslocarem de suas casas até a UPA quando, de fato, não há necessidade”.

O impacto também é muito positivo na vida dos pacientes. “Conseguimos fazer um monitoramento para acompanhar a evolução dos casos e fornecer as melhores orientações para cada situação”, diz. “Esse acompanhamento acolhe os pacientes, que se sentem protegidos”.

Para a secretária municipal de Saúde de Jaguariúna, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão, acompanhar o paciente na recuperação da doença e evitar novas mortes é o foco principal do hub. “Estamos atuando no preventivo, mas também na questão assistencial”, afirma.

Na prática

Os moradores de Jaguariúna que passam pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) com dengue ou suspeita da doença são monitorados durante cinco dias, via telefone, pela equipe de alunos voluntários dos cursos de Saúde da UniFAJ.

Os pacientes respondem a um questionário, recebem orientações sobre autocuidado e, em casos de sinais de alerta, como sangramentos, vômitos contínuos e dor abdominal intensa, são orientados a procurar o serviço de saúde. Em casos mais graves, são encaminhados a diretamente à UPA. É um serviço preventivo e essencial para a população.

Gabriel Mendes, aluno do terceiro semestre do curso de Medicina da UniFAJ, destaca a experiência de colocar em prática aquilo que aprende nas aulas. “Muitas vezes achamos que não vamos conseguir colocar em prática o que aprendemos ou só teremos essa oportunidade no terceiro ou quarto ano de faculdade”, afirma. “Essa oportunidade permite que possamos consolidar o conteúdo e encarar os atendimentos como eles de fato são. Esse é um grande diferencial para o nosso futuro na medicina”.

O telemonitoramento é feito de segunda à sexta-feira, das 8 às 13 horas e das 14 às 17 horas. Aos moradores que passaram pelo atendimento na UPA ou UBS, a UniFAJ e a Prefeitura Municipal de Jaguariúna alertam que atendam as chamadas da universidade, realizadas pelo número (19) 3837-8500.

Pular para o conteúdo