A imagem mostra momentos do Workshop Embrapa- UniFAJ 2023

Inédito: “Workshop Embrapa-UniFAJ 2023” integra ensino, pesquisa, tecnologia e inovação

O primeiro “Workshop Embrapa-UniFAJ 2023” reuniu mais de 100 pesquisadores e professores no Centro Universitário em Jaguariúna. O encontro serviu para a definição de prioridades e de uma agenda, além de projetar ações a serem implantadas entre cinco e dez anos. O evento fortaleceu o vínculo entre as duas instituições, promovendo parcerias em busca da educação, inovação, tecnologia e preservação responsável do meio ambiente.

O fomento à integração entre ensino e pesquisa, envolvendo a tecnologia e inovação, foi a proposta do “Workshop Embrapa-UniFAJ 2023”. O evento, inédito, com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Meio Ambiente, reuniu mais de 100 pesquisadores e professores na UniFAJ em Jaguariúna.

Este workshop é um marco na relação entre ensino e pesquisa. O trabalho foi organizado tanto pela direção da Embrapa quanto da UniFAJ voltado para o desenvolvimento de novas tecnologias a serem utilizadas na atividade-fim da Embrapa, que é prevenção e proteção ambiental”, salienta o diretor da UniFAJ, professor Flávio Fernandes Pacetta.

O chefe de P&D da Embrapa, Cristiano Menezes, enfatiza a importância da participação da equipe de ambas as instituições no processo de construção dessa parceria com o Grupo UniEduK. “Temos uma equipe muito diversificada e altamente qualificada em ambas as instituições. O formato do workshop favoreceu o contato entre as pessoas e a troca de ideias, para posterior amadurecimento das propostas de trabalho. Isso é muito importante para que as ações se concretizem”, afirma.

Já o gestor do curso de Medicina Veterinária, professor Neimar Roncati, reforça que o evento viabilizou sinergias entre as duas instituições, promovendo parcerias em busca da educação, inovação, tecnologia e preservação responsável do meio ambiente. “Nesta primeira etapa, realizamos a interação entre pesquisadores e professores de Engenharia Agronômica e Medicina Veterinária do Grupo UniEduK”, diz.

Para isso, foram feitas discussões em pequenos grupos. O intuito foi idealizar projetos de pesquisa buscando: o quê, como, com quem e onde podem realizar ações e trabalhos conjuntos em busca dos ideais.

Com este evento, ampliamos nosso campo de visão e ação, não apenas para o corpo educacional da UniFAJ, assim como para todo o corpo discente dos mais variados cursos da instituição, pela geração de ideias e propostas, com visão de inovação, tecnologia e sustentabilidade. Certamente, surgirão como fruto deste trabalho comum, ações e tecnologias que poderão impactar a vida da nossa sociedade, não só regionalmente como para o futuro deste país”, afirma o professor Neimar.

Próximos passos

O diretor da UniFAJ, professor Flávio Fernandes Pacetta, revela que o evento projetou ações a serem implantadas entre cinco e dez anos. “É um projeto ousado e que unirá Embrapa e Grupo UniEduK para fazermos melhorias tecnológicas que envolverá nossos alunos, nossos professores pesquisadores e toda a estrutura do ecossistema que se formou”, ressalta.

Já o professor Neimar comenta que o encontro serviu para a definição de prioridades e de uma agenda. A finalidade é promover o fortalecimento da educação dos alunos do Grupo UniEduK, bem como auxiliar em projetos de diferentes ordens de grandeza da Embrapa Meio Ambiente de Jaguariúna.

A partir destas discussões, compilamos os dados gerados para a formação de uma agenda conjunta de trabalho para os próximos meses. Sabendo da heterogeneidade dos projetos, temos como objetivo imediato discernir entre ações imediatas para pesquisas já em andamento, assim como idealizar agendas comuns para projetos de longo prazo entre as instituições”, enfatiza o gestor acadêmico.

Por sua vez, o chefe de P&D também fala das ações futuras. “O próximo passo será o envolvimento dos alunos do Centro Universitário nos projetos de pesquisa que faremos em conjunto. Nós já recebemos alunos há bastante tempo, mas a ideia é fortalecer esse fluxo a partir da parceria. Também temos uma expectativa muito grande em relação ao compartilhamento de conhecimentos, experiências, tecnologias, rede de relacionamentos e infraestrutura de ambas as instituições”, conclui Cristiano Menezes.

Pular para o conteúdo