Profissões do futuro: quais carreiras serão tendência nos próximos anos?

Especialistas indicam quais cargos serão promissores nas áreas da Saúde, Engenharia, Ciências da Computação e Marketing

A rápida evolução da tecnologia e as constantes mudanças no cenário atual trouxeram novas possibilidades para o mercado de trabalho. E, para atender essa demanda cada vez mais crescente, é indispensável estar preparado para os desafios do futuro. Especialistas alertam que estar antenado à transformação digital é indispensável para alcançar o tão sonhado sucesso profissional. A inteligência artificial (IA), por exemplo, contribuirá de forma maciça para essa evolução e pode representar um crescimento de até 1,4% no PIB anualmente no mundo até 2030. 

Já o relatório do “The Future of Jobs”, do Fórum Econômico Mundial, traz previsões mais atuais e revela que, já no próximo ano, inovações como machine learning e análise de dados serão responsáveis pela criação de 58 milhões de novos empregos. 

“A tecnologia tem causado algumas grandes revoluções em todas as profissões, principalmente no que tange atividades que estão muito relacionadas a processos mecanizados e repetitivos. Então, ela virá para transformar qualquer atividade laboral que tenha na repetição a sua principal fonte de rotina”, analisa Márcio Sanches, médico e diretor de Pesquisa e Inovação do InovaEduK, hub de inovação e empreendedorismo que atua nos campi do Centro Universitário de Jaguariúna (UniFAJ) e do Centro Universitário Max Planck (UniMAX), em Indaiatuba, ambos no interior do Estado de São Paulo. 

Essa transformação do mercado também será benéfica para quem busca empreender, uma vez que esse movimento permite que novas e inovadoras oportunidades tornem-se ainda mais viáveis.  

“Se as tecnologias estão muito difundidas e estão a cada dia mais acessíveis, aqueles que tiverem uma visão empreendedora e oportunidades de exercê-la, estarão com o ‘prato cheio nas mãos’. Essas pessoas terão muito mais possibilidade de testar suas ideias em espaços como o InovaEduK, que atua sendo um ambiente multidisciplinar, de troca de experiência e de germinação de ideias”, acredita.  

Mas, afinal, quais são as profissões do futuro? 

De fato, o mundo está em constante movimento e unir tecnologia, humanização e foco em resultados deve ser uma prioridade no mercado de trabalho. Confiras as profissões do futuro nas áreas da Ciência da Computação, Marketing e Engenharia:  

Cientista de dados: responsável por funções de análise estatística, programação e conhecimento de negócios para extrair insights, aplicar técnicas de resolução de problemas e tomar decisões estratégicas. 

Especialistas em IA:  é o profissional que atua com o desenvolvimento e implementação de sistemas de inteligência artificial, modelos de machine learning e soluções inteligentes para diferentes setores.

Desenvolvimento de software e aplicativos: são programadores, desenvolvedores de aplicativos e especialistas em DevOps que criam e mantém soluções digitais inovadoras. 

Área de experiência do cliente (UX): responsáveis por garantir a interação com produtos ou serviços, através de pesquisa, design de interfaces e testes de usabilidade, para melhorar a satisfação e fidelidade dos clientes.

Especialista em marketing de conteúdo interativo: esse profissional atua na criação de estratégias que envolvam conteúdo interativo, focado em cativar e envolver o público-alvo de maneira única.

Analista de dados de marketing: profissional focado em realizar ações como coleta, análise e interpretação de informações, visando extrair insights poderosos e alcançar os objetivos de negócio.

Engenharia ambiental sustentável: responsável por criar projetos de soluções para minimizar o impacto ambiental das atividades humanas, incluindo gestão de resíduos, energias renováveis e políticas de sustentabilidade.

Engenharia de cibersegurança: esse profissional atua focado na proteção de sistemas e redes contra ataques cibernéticos, através de medidas como firewalls, detecção de intrusões e criptografia.

Para o gestor do curso de Ciência da Computação da UniFAJ, professor Fábio Carvasan, os maiores desafios nos próximos anos será lidar com avanços tecnológicos rápidos e demandas por soluções sustentáveis. “Será importante que os profissionais tenham competências técnicas sólidas, capacidade de adaptação a novas tecnologias, pensamento crítico, habilidades de resolução de problemas e uma mentalidade de aprendizado contínuo”, explica. “O profissional do futuro precisará ter ainda consciência das implicações éticas e sociais do uso da tecnologia e compromisso com o desenvolvimento responsável e sustentável”, complementa o professor de Engenharia de Produção da UniMAX, Geraldo Delgado. 

Área da saúde também demanda novas profissões 

Com a evolução tecnológica, profissionais da saúde terão que se adaptar e se reinventar, tendo repertório para desenvolver competências que tenham interface com programação e tecnologia, além de habilidades em relação ao compartilhamento de dados, liderança digital, criatividade e visão aberta. 

“Talvez a tecnologia possa estar servindo também para que o médico volte a ser um pouco mais ‘humano’ no seu atendimento. Porque se você tem várias ferramentas que te ajudam a cumprir tarefas que seriam mecânicas e que podem ser dispensadas da atividade médica humana, o profissional passa a ter chance de explorar a relação com o paciente de uma maneira um pouco mais ampla. E aí, desenvolver habilidades como comunicação, empatia, compreensão e interação, pode fazer com que ganhe um diferencial importante nesse processo”, destaca Márcio Sanches. Veja algumas profissões promissoras:

Telemedicina: o advento da pandemia de Covid nos mostrou o valor do uso da tecnologia ajudando a vencer barreiras geográficas e ampliando o acesso da população à saúde. Aliada aos avanços da tecnologia (internet 5G, inteligência artificial, internet das coisas etc.), a telemedicina desponta como alternativa segura e conveniente para consultas a distância, monitoramento inteligente de pacientes, cirurgias robóticas e diagnósticos mais precisos e rápidos.  

Saúde mental: ansiedade, depressão e uma gama de outros transtornos mentais tem se tornado cada vez mais frequentes. Profissionais capazes de lidar com estas condições, tecnologias que auxiliem em processos terapêuticos e tratamentos mais personalizados passam a ser tendências.

Terapia celular avançada: avanços na biotecnologia têm nos permitido atuar em nível genético de maneira mais eficaz e segura, permitindo criar alternativas terapêuticas a partir de células e materiais genéticos modificados, criando oportunidades para biotecnologistas, biomédicos, farmacêuticos, geneticistas, dentre outros.

Pesquisa e dados do mundo real: as pesquisas baseadas em dados do mundo real estão e seguirão em ascensão. Isso proporcionará uma avaliação mais eficaz das jornadas de saúde dos pacientes, permitindo comparações, além do desenvolvimento de novos modelos de remuneração e relacionamento entre profissionais e instituições.

Biodesign: o setor oferecerá ainda mais oportunidades para criar materiais personalizados, como impressões 3D de próteses a partir de biomateriais, adaptadas às particularidades dos indivíduos.

Metaverso:  essa tecnologia já é utilizada para planejar procedimentos, simular eventos em ambientes complexos e aprimorar medicamentos e dispositivos de diagnóstico.

Medicina de precisão: além disso, observa-se uma mudança da abordagem baseada na química para a biologia na produção de medicamentos, proporcionando maior precisão e personalização.

Pular para o conteúdo