“Psicoplay” desenvolve processos psicológicos básicos durante evento promovido no Grupo UniEduK

Sensação, percepção, atenção, memória, linguagem, motivação e criatividade foram os processos psicológicos trabalhados nos jogos e atividades do “Psicoplay”, evento realizado pelo segundo semestre do curso de Psicologia 

O evento “Psicoplay”, realizado regularmente pelo curso de Psicologia do Grupo UniEduK, abordou, em sua última edição, os processos psicológicos básicos como sensação, percepção, atenção, memória, linguagem, motivação e criatividade.

De acordo com a professora Carolina Porto de Almeida, o “Psicoplay” é a apresentação e a aplicação dos jogos elaborados pelos alunos do segundo semestre de Psicologia durante o Projeto Integrador “Jogos e outras expressões criativas”, sob orientação dos docentes do curso.

O evento ocorreu no campus II da UniFAJ e no campus I da UniMAX, tendo como público-alvo alunos, docentes e colaboradores dos Centros Universitários, além de visitantes. Alunos de diferentes cursos de graduação do Grupo UniEduk compuseram a maioria dos participantes nas duas unidades.

A docente conta que foram apresentados oito projetos/jogos na UniMAX e cinco na UniFAJ   com a participação de cerca de 400 pessoas (em média 200 em cada campi). Além da professora Carolina, também trabalharam no projeto os docentes Maria Beatriz Zanarella, Luana Luca, Luciana G. A. de Souza, Valéria Bastelli, Clóvis Costa e Zoica Caldeira.

Essa atividade é uma prática essencial aos alunos do segundo semestre por possibilitar que aprendam de forma integrada os conteúdos relacionados aos diferentes componentes curriculares deste período da formação, entre os quais estão Processos Psicológicos Básicos, Behaviorismo, Políticas Públicas, Filosofia e Psicologia e Diversidade”, destaca Carolina.

A professora ressalta também que “Ao criar, construir e aplicar jogos, além da aprendizagem dos conteúdos teóricos e de sua aplicabilidade, os alunos de Psicologia desenvolvem competências e habilidades essenciais para o psicólogo, tais como embasamento técnico e científico, conduta ética e empática, atitude propositiva, observação do comportamento, entrevista psicológica, comunicação em linguagem acessível, promoção em si, no outro e na comunidade de repertórios de reflexão, reconhecimento de sentimentos, habilidades cognitivas e autoconhecimento”, diz.

 

SOBRE O PSICOPLAY

Carolina explica que o “Psicoplay” recebeu esse nome por iniciativa dos alunos que cursavam o segundo semestre de Psicologia em 2019. “Desde então, tem sido motivo de orgulho e de satisfação acompanhar a elaboração dos jogos e a performance dos alunos ao aplicá-los. Tenho a impressão de que, a cada ano, o projeto se aprimora e deixa um legado para o ano seguinte. Os alunos ingressantes de Psicologia, ao se familiarizarem com a importância dos jogos na prática psicológica, parecem motivados a seguir esse legado e fazer do ‘Psicoplay’ uma noite alegre, divertida, acolhedora e satisfatória para todos”, conclui.

Pular para o conteúdo