Qual mão de obra está em falta no mercado? O Grupo UniEduK indica!

Existem áreas que já estão ou, em breve, vão sofrer com a falta de profissionais qualificados. Acompanhe o Grupo UniEduK para descobrir qual mão de obra está em falta no mercado.

Muito se fala em desemprego no Brasil, porém existem diversos setores em que os empregadores têm dificuldade de encontrar profissionais qualificados para ocupá-las e, consequentemente, sobram vagas. Mas, você sabe qual mão de obra está em falta no mercado?

Sem rodeios, vamos indicar que a área de ENGENHARIA é uma delas.

Portanto, quem vai apresentar esse tema para você é o professor Leandro Velozo, gestor dos cursos das Engenharias Elétrica e de Controle e Automação do Grupo UniEduK. Ele é formado em Engenharia Elétrica, pós-graduado em Gerenciamento de Projetos e em Gestão de Redes de Telecomunicação.

Com toda a certeza, o docente pode contribuir para ampliar sua visão sobre a área, pois possui ampla experiência no setor automotivo como Engenheiro de Validação na General Motors do Brasil e atua há mais de uma década como professor universitário.

Quando ocorre escassez de mão de obra?

Velozo diz que, segundo o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia – CONFEA –  e a Confederação Nacional da Indústria – CNI, o Brasil está formando em torno de 40 mil engenheiros por ano. Isso representa 6 engenheiros para cada 100 mil habitantes.

A relação aceitável mínima em países como EUA, China, Rússia e Japão é de 25 engenheiros para cada 100 mil habitantes, ou seja, temos uma enorme oportunidade”, comenta o professor.

Por aí, você já pode perceber que o número não bate e que, inegavelmente, a área de ENGENHARIA está esperando você tomar essa decisão de ser a solução para a falta de mão de obra.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INPE  realizou um Censo de Educação Superior 2021 e publicou em novembro de 2022.  Portanto, a informação é recente.

Esse Instituto descobriu que, no curso de Engenharia Mecânica, por exemplo, considerando os números de vagas oferecidas versus as vagas ocupadas, na rede pública, temos uma taxa de ocupação de 81%.

E o que isso quer dizer? Que 19% das vagas disponíveis nos cursos de Engenharia Mecânica não foram preenchidas e esse mesmo contexto se repete na rede privada com a taxa de ocupação de 16%.

Mas o que causa a falta de mão de obra qualificada?

O professor Leandro Velozo acredita que muitos jovens não têm interesse na Engenharia por desconhecimento. “Ou até mesmo por acreditarem que os cursos de Engenharia ainda têm a mesma grade curricular de 20 anos atrás, em que as disciplinas, tais como cálculo e física eram ensinadas sem contexto de aplicação, o que dificultava muito o aprendizado por parte do aluno”, considera.

Porém, o docente enfatiza que existem diversas pesquisas e estudos sobre os motivos que levam a queda de alunos ingressantes nos cursos de engenharias, mas não há uma opinião unânime.

Não existe um consenso, porém alguns fatos são comuns em várias visões, como o fato de a matriz curricular das engenharias ter uma ênfase em disciplinas de Exatas como Cálculo e Física”, diz Velozo.

MAS TEM UMA COISA QUE VOCÊ AINDA NÃO SABE!!!

No Grupo UniEduK, além de você ter opção de cursar diversas áreas de Engenharia tanto em Indaiatuba quanto em Jaguariúna (Agronômica, Civil, Controle e Automação, Elétrica, Mecânica e Produção), ainda conta com a oportunidade de fazer cursos atualizados a fim de atender contextos de inovação, tecnologia e empreendedorismo.

Portanto, se você acha difícil matérias que envolvam cálculo e física, aqui, no Grupo UniEduK, você vai descobrir que as metodologias ativas e as inúmeras aulas práticas que realizará desde o primeiro dia de curso, têm por finalidade facilitar seu aprendizado, bem como seu entendimento de conceitos.

Os objetivos dos nossos cursos de Engenharias vão além das habilidades técnicas (conhecidas como Hard Skills), eles têm o objetivo de promover aos alunos o desenvolvimento de Soft Skills, como comunicação, liderança, trabalho em equipe, criatividade, proatividade e outros comportamentos que são esperados dos profissionais”, explica o professor.

Velozo salienta que a principal mudança se deve ao fato de que os professores do Grupo UniEduK têm a preocupação de, primeiramente, deixar claro como e onde é aplicado o conceito, fazendo sentido ao aluno, o que desperta o interesse e, consequentemente, o aprendizado.

Agora você já sabe: Qual mão de obra está em falta no mercado?

A SUA, SEM DÚVIDA.

Como diz o professor Velozo: “Este é o momento certo para você cursar Engenharia aqui no Grupo UniEduk. O curso de graduação em Engenharia é a melhor escolha, considerando as inúmeras possibilidades de atuação e necessidade do mercado”.

E ele finaliza: “Apesar de incertezas econômicas que o país passou, da pandemia, todas as áreas da Engenharia estão em crescimento com vagas e oportunidades de emprego, e muitas dessas vagas não são preenchidas”.

 

Vamos aproveitar?

INSCREVA-SE NO VESTIBULAR 2023!

Pular para o conteúdo