Professor André Lemos, coordenador do curso de Medicina da UniFAJ, Ana Lima, presidente do Conselho de Assistência Social e primeira dama de Santo Antônio de Posse, Graziela Lima, superintendente de Saúde de Santo Antônio de Posse, professor Flávio Pacetta, diretor geral da UniFAJ, Paulo José, Secretário de Saúde de Santo Antônio de Posse, e Ana Brandão, vice-prefeita de Santo Antônio de Posse, estiveram reunidos no hub da dengue, na UniFAJ, na manhã de terça-feira, dia 7

UniFAJ expande atuação do hub da dengue para Santo Antônio de Posse

Município já é o segundo a contar com apoio do núcleo de telemedicina para monitoramento da doença, além de Jaguariúna

Com o sucesso da parceria entre o Centro Universitário de Jaguariúna (UniFAJ) e a Prefeitura do município no primeiro hub da dengue, o Núcleo de Telemedicina para Monitoramento da Dengue, a atuação do hub foi estendida para a cidade de Santo Antônio de Posse.

Na manhã desta terça-feira, 7 de maio, a vice-prefeita de Santo Antônio de Posse, Ana Brandão, o Secretário de Saúde do município, Paulo José, a superintende de Saúde, Graziela Lima, e a presidente do Conselho de Assistência Social e primeira dama da cidade, Ana Lima, estiveram no hub da dengue, dentro do centro universitário, para acompanhar o processo de monitoramento dos pacientes diagnosticados com dengue ou com suspeita da doença por um período de cinco dias e, assim, promover um tratamento adequado e reduzir os casos de óbito.

De acordo com Paulo José, a expectativa da parceria é muito positiva. “Ela vem somar às ações que o município já está desenvolvendo no combate à dengue e cuidado com nossos cidadãos, além de nos aproximarmos cada vez mais da UniFAJ”, disse.

A superintendente de Saúde de Santo Antônio de Posse, Graziela Lima, destacou que a presença dos estudantes de Medicina da UniFAJ em aulas práticas nos centros hospitalares e de atendimento em Santo Antônio de Posse é muito bem avaliada pelos moradores. “Todos se sentem acolhidos e respeitados como pacientes e cidadãos”, afirmou Graziela.

Santo Antônio de Posse, com 23 mil habitantes, faz uma média de 500 atendimentos diários e registrou seis casos de óbito. Atualmente o município conta com seis pontos de saúde para atendimento da dengue, além do dengário, ponto exclusivo de atendimento, responsáveis por uma média de 500 atendimentos diários.

De acordo com o diretor geral da UniFAJ, Flávio Pacetta, além de auxiliar o município vizinho no monitoramento dos pacientes com dengue, a oportunidade fortalece a prática e vivência dos alunos dos cursos de saúde do centro universitário. “Quanto mais eles tiverem a oportunidade de estar em contato com as dores da comunidade e com a realidade do dia a dia, mais eles serão profissionais éticos e com uma melhor capacitação”, afirmou.

Pular para o conteúdo