A imagem mostra quais são os três ramos da Engenharia.

Você sabe quais são os ramos da Engenharia? O Grupo UniEduK te conta!

O professor Leandro Velozo, gestor acadêmico dos cursos das Engenharias Elétrica e de Controle e Automação explica quais são os ramos da área e quais os principais cargos relacionados a cada setor

Você decidiu iniciar um curso de nível superior, mas está perdido entre tantas opções que existem? Que tal começar a tirar suas dúvidas conhecendo quais são os ramos da Engenharia?

Afinal, são tantas dúvidas. Qual a melhor profissão? Qual o melhor curso a se fazer? Qual é a faculdade que dá mais dinheiro?

Por isso, nós queremos ajudar e mostrar que existem profissões com carência de mão de obra e que VOCÊ pode ser a solução que o mercado de trabalho procura.

Antes de tudo, convidamos para esclarecer essa pergunta, o professor Leandro Velozo, gestor dos cursos das Engenharias Elétrica e de Controle e Automação do Grupo UniEduK. Ele é formado em Engenharia Elétrica, pós-graduado em Gerenciamento de Projetos e em Gestão de Redes de Telecomunicação.

Além disso, Velozo possui ampla experiência na área automotiva, trabalhando como Engenheiro de Validação na General Motors do Brasil e com mais de uma década de atuação como professor universitário.

Você já pode perceber que ele domina o assunto e pode te ajudar a descobrir a maravilha que é o mundo da Engenharia, não é mesmo? Desse modo, com a devida apresentação feita, vamos lá!

  • Falta de mão de obra em ramos da Engenharia

Em primeiro lugar, talvez você nem saiba, mas no Brasil há carência de mão de obra qualificada na área de Engenharia e que, consequentemente, sobram oportunidades de emprego em diversos setores.

De acordo com o CONFEA – Conselho Federal de Engenharia e Agronomia e a CNI – Confederação Nacional da Indústria, o Brasil está formando em torno de 40 mil engenheiros por ano. Isso representa seis engenheiros para cada 100 mil habitantes.

Velozo explica, porém, que a relação aceitável mínima em países como EUA, China, Rússia e Japão é de 25 engenheiros para cada 100 mil habitantes. “Ou seja, temos uma enorme oportunidade”, diz.

O gestor acadêmico conta também que há previsão de que, muito em breve, haja “apagão de mão de obra especializada” de acordo com pesquisas feitas pelo INPE – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais.

No Censo de Educação Superior 2021, publicado em novembro de 2022, considerando os números de vagas oferecidas versus vagas ocupadas e usando o curso de Engenharia Mecânica como exemplo, na rede pública, temos uma taxa de ocupação de 81%. Quero dizer que 19% das vagas disponíveis não foram preenchidas e esse mesmo contexto, na rede privada, com taxa de ocupação de 16%”, destaca Velozo.

 

Mas e, então, quais são os ramos da Engenharia?

O professor salienta que o Brasil é um país em desenvolvimento, com inúmeras oportunidades nas áreas das engenharias, em todos os três setores da economia, sendo eles:

  1. Primário:que diz respeito à agricultura, à pecuária e ao extrativismo;
  2. Secundário: que corresponde à indústria; e
  3. Terciário: que agrega os serviços, formais ou informais, prestados nas mais diversas áreas, e também as atividades comerciais.

Em todos os setores, a demanda de engenheiros é de extrema importância para o desenvolvimento e crescimento sustentável”, enfatiza Velozo.

 

Vamos conhecer quais principais profissões na área de engenharia ligadas a cada setor:

  • AGRICULTURA, PECUÁRIA E EXTRATIVISMO (PRIMÁRIO):

Em princípio, o professor destaca a Engenharia Mecânica, a Elétrica, a de Controle e Automação e a de Produção. Segundo o docente, elas são engenharias que vão atuar para projetar e desenvolver equipamentos e máquinas que melhorem a produtividade e facilitem as atividades no campo.

Ao projetar um novo maquinário ou equipamento, o engenheiro deve pensar na segurança do operador, usabilidade em geral, impacto ambiental, produtividade, custos de manutenção que ele pode trazer”, conta Velozo.

Em seguida, o professor fala sobre o Engenheiro Agrônomo, cuja formação é, possivelmente, a mais conhecida entre as profissões relacionadas ao campo.

O engenheiro agrônomo é responsável pelo planejamento, execução, manutenção e fiscalização de todas as atividades relacionadas à agricultura e à pecuária. O profissional deve definir técnicas de plantio, soluções para combate às pragas, gerenciar o armazenamento da colheita e comercialização dos produtos agropecuários, entre outras funções”, completa.

  • INDÚSTRIA (SECUNDÁRIO)

Quando estamos falando de Indústria, é um termo muito amplo, pois temos muitos segmentos dentro da indústria, como farmacêutica, automotiva, metalúrgica, química e outras . Com isso, é evidente que não conseguiríamos listar aqui todos os cargos referentes a todos os processos industriais que existem”, cita Velozo.

Porém, o professor aponta que “a atual transformação industrial que estamos vivenciando, chamada de Indústria 4.0, evidencia a necessidade de Engenheiros de Controle e Automação, Engenheiros Eletricistas ou Engenheiros Eletrônicos, Engenheiros de Software e de outros profissionais ligados à cibersegurança”.

Ainda no setor secundário, temos a parte de geração e distribuição de energia, que é um tema relevante devido à busca e utilização cada vez maior de energias renováveis em nossa matriz energética, o que demanda e evidencia a necessidade do engenheiro eletricista ainda mais”, acrescenta o docente. 

  • SERVIÇOS FORMAIS OU INFORMAIS E ATIVIDADES COMERCIAIS (TERCIÁRIO)

Por fim, o gestor acadêmico traz dados sobre os serviços, formais ou informais, além das atividades comerciais.

O setor terciário é aquele que responde pela maior parte da população economicamente ativa empregada. As informações do IBGE mostram que, hoje, o setor terciário abarca 70% dos postos de trabalho no país, tanto formais quanto informais e a Engenharia está presente em diversas atividades do setor, como prestação de serviços, consultorias e outras atividades. É muito comum encontrar nesse setor engenheiros empreendedores”, finaliza.

Pular para o conteúdo