Alumni do curso de Gastronomia contam sobre estágio na França

No último semestre, Bruna Perina e Bianca Araújo estagiaram no restaurante La Merise, localizado na comuna de Laubach, na França.

No primeiro semestre de 2022, as alumni do curso de Gastronomia do Grupo UniEduK realizaram um intercâmbio para a França. Bruna Perina e Bianca Araújo estagiaram no restaurante La Merise, na comuna de Laubach.

A oportunidade foi viabilizada pelo departamento internacional do Grupo UniEduK, em parceria com a empresa La Provence, que há alguns anos promove estágios na França para alunos de Gastronomia. A empresa leva os alunos e alumni até restaurantes estrelados no Guia Michelin, propiciando uma experiência única no país de referência nessa área.

DIFERENÇA CULTURAL

Depois de uma longa espera por conta do isolamento social ocasionado pela pandemia, as alumni puderam partir para a Europa em março deste ano. Bruna Perina conta que, logo ao chegar na França, encontrou dificuldades relacionadas à imensa diferença cultural e carga de trabalho.

Na França, a Gastronomia é vista de forma muito séria e respeitosa. Sofri episódios de machismo e xenofobia, que foram cortados pela raiz quando impus respeito e mostrei que tinha a mesma capacidade física e emocional que qualquer homem na mesma profissão que eu”, relata a profissional.

Além dessa questão, a alumni Bianca Araújo conta que a recepção dos europeus é muito diferente dos brasileiros, causando estranheza às intercambistas. De acordo com relatos da profissional, os franceses são mais fechados e introspectivos, e demoram um tempo para se acostumar com pessoas de culturas diferentes. 

“Da mesma forma que estranharam a chegada de brasileiras no início, também sentiram a partida quando o estágio acabou”, conta Bianca sobre o relacionamento com os colegas de profissão. 

Ainda, a comunicação também foi um ponto importante para a adaptação das brasileiras. Bruna conta que, pelo fato de o restaurante estar localizado na região da Alsácia, muito próxima à Alemanha, há um dialeto próprio que mistura o idioma francês com o alemão.

A língua francesa é uma língua tão difícil e complicada quanto o próprio português e, apesar de ter feito um curso de francês aqui no Brasil antes de ir, não fui com a fluência necessária. Porém, a prática melhorou muito meu francês e, no final do período do estágio, conseguia manter uma conversa e me comunicar tranquilamente com os franceses”, explicou Bianca.

 

PRÁTICA DA PROFISSÃO

Estar em um ambiente profissional no país da Gastronomia é uma experiência única. Sendo assim, as alumni do Grupo UniEduK puderam aprimorar diversas técnicas de cozinha. Dentre elas, Bruna Perina conta que aprendeu muito mais sobre tipos de cortes, agilidade e manuseio de facas, além da rapidez durante o serviço de cozinha, organização completa de mise en place, técnicas de cocção e insumos que dificilmente teria fácil acesso no Brasil.

Da mesma forma, Bianca completa: “Os franceses são extremamente organizados durante o trabalho, e isso faz toda a diferença durante o serviço. Tive contato com técnicas e ingredientes de alto padrão que nunca tinha visto anteriormente, e poder trabalhar com isso foi um grande aprendizado”.

Durante os seis meses do intercâmbio de estágio, Bruna, Bianca e outros alumni e alunos do Grupo UniEduK conferiram o tamanho respeito que um chef de cozinha possui, e também a sua equipe.  Mas também aprenderam que um chef sem a sua equipe não é nada.

Cozinhei para grandes nomes e personalidades franceses, e em um dos eventos, toda a equipe foi aplaudida em pé aos gritos de “bravo!”. Isso é gratificante demais, me fez ter a certeza absoluta de estar no caminho certo”, relata Bruna.

O restaurante que trabalhei possui duas estrelas Michelin e uma premiação chamada Les Grandes Tables Du Monde (As Grandes Mesas do Mundo), na qual 178 restaurantes excepcionais são escolhidos como os melhores do mundo. Sem sombra de dúvidas, eu pude aprender com o melhor professor que eu poderia encontrar, o chef”, continua a alumni.

 

VALE A PENA FAZER INTERCÂMBIO PELA FACULDADE?

BRUNA PERINA: Sim, vale muito. Portas se abriram para mim na França durante o meu estágio, e também no Brasil. Mesmo com a experiência incrível, optei por voltar e ingressei na equipe do Restaurante Amadeu, e hoje sou sous chef ao lado do chef Igor Furlan, que me inspirou e me incentivou desde o começo a fazer o estágio na França.

O conselho que posso dar para quem se interessa a fazer o estágio é: VÁ. Mas vá preparado no idioma e, principalmente, vá preparado física e emocionalmente para muito trabalho. As diferenças culturais e climáticas são gritantes, mas se você estiver focado e disposto, irá aprender MUITO, conhecer muitos lugares maravilhosos, muitas pessoas geniais, muitos insumos e técnicas importantes. Eu viveria tudo novamente, tamanha importância que essa experiência teve (e ainda tem) em minha vida.

BIANCA ARAÚJO: Sim, vale muito a pena. Se eu pudesse, faria tudo novamente. O conselho que dou para quem gostaria de fazer esse intercâmbio é para que vá preparado para o trabalho, fisicamente, emocionalmente e psicologicamente. O trabalho é duro, as jornadas são pesadas, a cultura é muito diferente, mas o aprendizado é gigantesco. Melhoramos como profissionais, como pessoas, nos tornamos mais fortes e competentes.

 

Confira notícias do curso de Gastronomia do Grupo UniEduK
Pular para o conteúdo