A imagem mostra momentos da reportagem sobre o teste Swab na TV TEM

Alunos do curso de Medicina da UniMAX desenvolvem pesquisa inédita no Brasil sobre o teste Swab

Orientados pelo professor João Francisco Barbieri, os alunos do curso de Medicina, Lucca Palavani e Camila Vilhena Andrade, tiveram a pesquisa inédita no Brasil sobre o Teste Swab publicada no Journal of Neurosurgery: Case Lessons e divulgada pela TV TEM. A pesquisa mostrou que esse teste não é isento de riscos e uma das complicações pode ser a fratura de ossos relativamente finos da base do crânio, causando uma fístula liquórica que é o vazamento de líquido que recobre o cérebro.

Confira a reportagem da TV TEM na íntegra:

Conheça a forma correta de fazer o teste Swab contra Covid-19

SAIBA MAIS SOBRE A PESQUISA INÉDITA NO BRASIL:

Alunos do terceiro no ano do curso de Medicina da UniMAX (Grupo UniEduK) realizaram uma pesquisa inédita no Brasil sobre o teste Swab. O trabalho foi feito pelos estudantes Lucca Palavani e Camila Vilhena Andrade. A iniciação científica foi orientada pelo professor de Anatomia, João Francisco Barbieri.

Com a pandemia de Covid 19, foram realizados diversos testes Swab, em que se coleta amostras através de uma haste introduzida na cavidade nasal. O que poucas pessoas sabem é que esse teste não é isento de riscos. Uma complicação dessa coleta é a fratura de ossos relativamente finos da base do crânio, causando uma fístula liquórica. Através da fratura causada pelo teste, vaza líquido que recobre o cérebro”, explicam os pesquisadores.

Segundo a pesquisa, essa complicação causa grande desconforto e pode evoluir para uma meningite. “No artigo, são revisados casos dessa ocorrência no mundo, assim como são descritos quatro casos ocorridos no estado de São Paulo. O artigo ressalta que a técnica correta de coleta evitaria estes casos, cujo tratamento foram todos cirúrgicos, e traz informações de como proceder a coleta de maneira correta”, dizem.

Divulgação na Revista Internacional Journal of Neurosurgery: Case Lessons

Além da divulgação na TV TEM, o assunto ganhou destaque internacional na Journal of Neurosurgery: Case Lessons. A revista, tradicional da área de neurocirurgia, foi fundada em 1944 e é um braço da Associação Americana de Neurocirurgiões (AANS). Segundo eles, sua missão é ajudar na evolução da prática de neurocirurgia por todo o mundo, através de técnicas inovadoras e novos instrumentos.  O artigo dos estudantes do curso de Medicina foi publicado na área de Neurocirurgia e Neurofisiologia.

A aluna Camila conta sobre sua experiência de ter um trabalho divulgado numa revista internacional renomada na área. “Uma publicação em uma revista tão reconhecida como a Journal of Neurosurgery é uma realização pessoal e profissional! Com muita alegria, pude trabalhar ao lado de pessoas incríveis, dedicadas, esforçadas, conseguindo construir um artigo de enorme importância para os tempos de hoje com a Covid 19”, diz. 

E ela acrescenta: “Com essa publicação, meu interesse por pesquisa cresceu muito e meus objetivos para a minha formação também. Agora vejo e entendo a importância das pesquisas. Só tenho a agradecer aos médicos envolvidos, meu grande orientador João Francisco e minha dupla, Lucca Palavani, e ao Centro Universitário por todo o apoio e pela oportunidade! ”.

O aluno Lucca também comenta sobre sua experiência. “Ter um trabalho publicado na Journal of Neurosurgery, uma revista desde 1944 e de grande valor mundial, traz muito orgulho para mim. O quanto eu aprendi e evolui cientificamente durante essa pesquisa foi um grande passo para o Lucca profissional”, afirma.

Isso me deu visibilidade para trabalhar em projetos com médicos e estudantes do mundo todo, trazendo a bagagem e experiência de aprendizado como fruto dessa publicação. Espero continuar no âmbito de pesquisa durante minha carreira, podendo contribuir para a população mundial e principalmente trazendo informação segura e relevante. Agradeço a UNIMAX por toda disponibilidade e suporte neste importante projeto”, completa o estudante.

Por sua vez, o professor João Francisco Barbieri fala sobre a importância do trabalho que orientou. “O estímulo à pesquisa científica desde o início de um curso de graduação é fundamental para a formação de um profissional crítico e antenado nas novas evidências”, considera.

O docente conta que, graças ao Programa de Iniciação Científica da UniMAX, eles conseguiram, por meio de um artigo científico, verificar uma sequência de casos de fístula liquórica após exames de Covid.

Nesta situação, por erro de procedimento ou lesão prévia existente, uma pequena fratura comunica o sistema nervoso e a cavidade nasal, gerando uma situação que pode levar a complicações sérias, como meningite. No artigo, relatamos uma série de casos reportados na literatura, assim como o tratamento e a evolução dos pacientes. Trabalhos como esses são fundamentais para informar a população sobre os riscos de procedimentos que se tornaram comuns à vida de todos”, conclui o professor.

Pular para o conteúdo