A imagem traz uma arte com a foto do professor Paulo Fraga e a montagem do Jaguariúna Rodeo Festival 2021.

Jaguariúna Rodeo Festival: Qual a importância do profissional em grandes eventos?

Professor Paulo Fraga, do curso de Arquitetura e Urbanismo do Grupo UniEduK, compartilha suas experiências trabalhando no projeto do Jaguariúna Rodeo Festival e ressalta a importância do projeto arquitetônico em eventos

Milhares de pessoas reunidas para assistir às provas de montaria e aos seus shows preferidos. Inúmeros profissionais envolvidos: competidores, músicos, artistas, vendedores, bombeiros, seguranças, enfim… Todos com o intuito de garantir uma experiência única de beleza e entretenimentos aos participantes. 

Mas você sabia que antes de tudo isso acontecer, há a presença essencial do Arquiteto e Urbanista? 

A maioria das pessoas não sabe, mas o projeto dessas estruturas de evento são papel desse profissional. Esse módulo é chamado de arquitetura efêmera dentro do vocabulário técnico da atuação profissional do arquiteto. Nesse projeto, é preciso pensar nos fluxos, na circulação e, neste momento de pandemia,  nos afastamentos necessários em locais fechados. É importante que o atendimento, entrada, enfermaria e emergência estejam bem posicionados e funcionem adequadamente para evitar acidentes com os visitantes, os artistas e até com os animais que ocuparão esse espaço. 

PAULO FRAGA, arquiteto e urbanista, professor do Grupo UniEduK é o responsável pelo 

Jaguariúna Rodeo Festival e conta o universo que envolve eventos como esse. 

 

HISTÓRIA: 

Grupo UniEduK: Há quanto tempo você projeta o Rodeio de Jaguariúna? 

Professor Paulo Fraga: Eu trabalho no projeto do Rodeio de Jaguariúna desde 2010.

 

Grupo UniEduK: Como se inseriu no meio de eventos dentro da Arquitetura? 

Professor Paulo Fraga: Eu me inseri nesse mercado como arquiteto, como alguém que foi lá desenhar e criar espaços para shows. A partir do meu conhecimento sobre melhores situações de funcionalidade, de estética e de conforto. Foi importante entender o todo e não só o detalhe que foi pedido para mim naquele momento. Dessa forma, olharam para mim como um possível profissional para poder assumir mais processos dentro desse grande evento. 

Eu entrei nesse projeto como um arquiteto, mas como um arquiteto que foi atrás de um conhecimento sobre as estruturas e sobre as questões de normas de segurança. Então, eu juntei quatro fatores para esse trabalho: 

  1. a visão urbanística, que planeja um grande evento numa gleba mitigando o impacto sobre a cidade e sobre o público no próprio evento; 
  2. a visão arquitetônica, que entende a modulação no sistema construtivo e estabelece melhores situações de funcionalidade, de estética e de conforto; 
  3. a visão para disponibilizar e organizar esses grandes e vários setores, que são independentes entre si e ao mesmo tempo se correlacionam;  
  4. e o querer entender, sabendo que o sistema de segurança, as normas de sistema contra incêndio,  que são fundamentais num grande evento de entretenimento nesse sistema construtivo modular.

 

Grupo UniEduK: Qual ponto você considera mais importante ao planejar a estrutura do Rodeio? 

Professor Paulo Fraga: Eu projeto os grandes setores, a parte da decoração, propriamente dita, eu não desenvolvo, tem outros profissionais que durante esses 10 anos trabalharam (com isso). Eu trabalho com a disposição arquitetônica dos grandes setores e como eles se correlacionam: entendendo qual é o produto do cliente e onde (colocar). Hoje, nós estamos em sintonia com a decoração. 

Experiência: Hoje, sou um profissional com experiência de mais de 10 anos de carreira na parte de eventos, que iniciou com um desenvolvimento mais arquitetônico, com um grande entendimento e pesquisa sobre o assunto. Com a capacidade urbanística e de organização dos grandes setores, eu fui ganhando espaço e me tornando um profissional especializado na área de eventos, em especial, grandes eventos e, assim, desenvolvo o projeto do Rodeio de Jaguariúna desde 2010.

 

MONTAGEM:

Grupo UniEduK: Qual a maior dificuldade  durante o processo de projeto e montagem?

Professor Paulo Fraga: Durante o processo de projeto e montagem, (a principal dificuldade) é o tempo. O tempo que a gente tem pra desenvolver, o tempo da montagem e o tempo que temos para conseguir as aprovações. Os três (prazos) têm que estar alinhados, então a maior dificuldade é pensar nas mudanças: se dá tempo de mudar no projeto de segurança para conseguirmos um alvará da Corporação dos Bombeiros; ao mesmo tempo que a montagem tenha início e consiga ser finalizada a tempo de uma vistoria para conseguirmos o alvará de funcionamento do evento. Eu vejo que (a maior dificuldade) é a compatibilidade, ainda, dos três setores que eu citei (arquitetura geral, estrutura e segurança).

É um evento muito interessante, muito desafiador para um arquiteto. Exige, realmente, comunicação com vários profissionais, é multidisciplinar. Para isso, é preciso ter conhecimento, buscar conhecimento sobre os assuntos.

 

Grupo UniEduK: Você projeta todos os ambientes ou só uma parte? Pode especificar quais são esses espaços?

Professor Paulo Fraga: De maneira geral, eu projeto todos os ambientes. Só não chego ao nível de detalhamento, pois aí entra o (profissional) que cria os espaços de decoração e design. Porém, eu sei muito bem quais serão os materiais que serão aplicados na decoração, pois são necessários para eu apresentar o projeto de segurança que também desenvolvo, projeto de segurança e projeto contra incêndio. 

 

Grupo UniEduK: Há muitas diferenças estruturais entre os espaços? Se sim, quais? 

Professor Paulo Fraga: Diferenças estruturais não. O que acontece no Rodeio de Jaguariúna é que não temos nenhum setor fixo, construído de fato, não temos uma arquibancada de alvenaria, alguma coisa nesse sentido.  Nós montamos, são estruturas modulares. Temos 15 mil metros de área construída em sistema tubular, que estão divididos entre dois megacamarotes (Super Bull e Brahma), a Pista Premium e o palco; sem falar dos apoios, que seriam sanitários, áreas de depósitos, bar, cozinha, posto de enfermagem, praça de alimentação…

Solução: Sobre os Estruturais, não tem muitas diferenças, depende muito do produto e da disponibilidade do mercado para aquele momento do evento e vai de acordo com essas possibilidades. Por exemplo, você pode fazer um evento sem essas estruturas tubulares? Pode! Como você vai fazer? Tem que encontrar  uma solução e é aí que entra o arquiteto. O arquiteto sabe como projetar, ele conhece as possibilidades do mercado de construção e, a partir dessas possibilidades de construção, de mão de obra e disponibilidade do mercado, ele cria. Ele também tem que compreender as necessidades do cliente e do usuário para essa festa. 

Perfil diferenciado: O Rodeio de Jaguariúna é um grande evento com perfil particular, que se diferencia, inclusive, em relação aos outros rodeios do estado de São Paulo. Esse perfil, o arquiteto tem que compreender, o que não é muito diferente de quando você tem que compreender um perfil de um casal para projetar sua própria residência. É entender e desenvolver um projeto e isso você conhece com base em diálogos, entrevistas e conversas e know-how. O know-how não só tem a ver com esse crescimento profissional nesses 10 anos, mas também tem o conhecimento de entender como se projeta antes disso. Eu tive que ter esse entendimento sobre o cliente.

 

SEGURANÇA:

Grupo UniEduK: Sabemos que a estrutura de um evento envolve a segurança das pessoas e, neste caso, dos animais também. Qual a medida mais importante a se observar nesse sentido? Há uma parte do projeto destinada somente à análise de segurança?

Professor Paulo Fraga: Por conta do Rodeio, a parte dos animais conta com  o “curral”, a chegada do animal tem todas as regras da questão dos bretes, assim como  quando o animal sai. Muito se fala do boi, mas o cavalo é a mesma coisa, tem todo um setor de apoio para o competidor, peão, para a entrada num momento específico da prova. Aí, tem todas as regras de julgamento, as regras de preservação do animal. Esses mesmos cuidados já acontecem muito antes do rodeio, nas fazendas, na maneira com que um animal é treinado para participar desses eventos. 

Evento misto: O Rodeio de Jaguariúna tem essa prática esportiva, mas é o momento de uma grande festa… é um evento no qual as pessoas são bastante rotativas. Todos esses setores têm acesso à arena, que é onde você fica na areia mesmo, assistindo ao show. E temos o parque, a praça de alimentação, onde há vários produtos sendo vendidos, expostos, na verdade, esse entretenimento acontece de uma maneira muito criativa e rotativa. Além disso, temos a Pista Premium, um setor que permite assistir aos shows bem próximo ao palco. 

Na verdade, a questão de segurança que envolve outras pessoas eu vejo como primordial. Eu chamo de três pilares: 

  1. o aspecto de organização do próprio arquiteto;
  2. o de entendimento dos sistemas construtivos, e 
  3. a segurança. 

Obviamente, é necessário saber das especificidades, se tem um show, tem um palco, então tem ângulo para assistir a esse palco e tudo isso  entra no rol das tarefas da  Arquitetura. 

É um conhecimento da Arquitetura, dos sistemas estruturais e sobre segurança. Falo que não é muito diferente de quando projetei a UniFAJ, porque são, também, grandes espaços, é uma grande instituição. 

A principal medida em relação à segurança, além do conforto e do lado estrutural, é o escoamento das pessoas caso aconteça algum sinistro, como as pessoas vão sair. Essa é uma grande questão que precisa ser pensada sempre em projetos de grande aglomeração em um único local. 

 

Grupo UniEduK: Com a pandemia, houve mudanças na forma de projetar um grande evento? 

Professor Paulo Fraga: O evento é, naturalmente, para as pessoas irem e se confraternizarem, para assistirem a um show,  conversarem. Nós estamos adotando algumas medidas, como a comprovação das duas doses da vacina ou dose única para a compra de ingressos. O esquema da portaria e dos acessos são administrados para gerar o mínimo possível de aglomeração nos pontos de vendas e de entrada, não só pelo conforto do cliente, mas também para não gerar aglomeração. Todo um sistema está sendo adotado pela produção na entrada do evento. 

Para o evento, é obrigatório o uso de máscara, recomendação para que as pessoas se protejam, mas, naturalmente, é um evento de aglomeração, o que geralmente acontece nesse segmento. Para minimizar essa questão, nós  estamos aumentando o espaço e foi um grande desafio deste ano: aumentar os espaços e conseguir as aprovações num espaço maior. 

Visita técnica: Durante a montagem das estruturas do Jaguariúna Rodeo Festival, os alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo do Grupo UniEduK realizaram uma visita técnica ao local. Junto à professora Fernanda Buga, os estudantes puderam acompanhar de perto o trabalho do professor Paulo Fraga, que os levou em tour pela construção. 

 

Confira notícias do curso de Arquitetura e Urbanismo do Grupo UniEduK

 

Pular para o conteúdo