O que faz uma pessoa formada em Engenharia Agronômica?

O Grupo UniEduK responde o que faz, quais benefícios a pessoa formada em Engenharia Agronômica traz à sociedade, qual o valor do salário e onde pode atuar. São várias as questões sobre esse profissional que possui um campo de atuação vasto e promissor a curto, médio e longo prazo. Acompanhe as respostas do gestor do curso de Engenharia Agronômica, professor Ronan Pereira Machado

Antes de mais nada, para responder à pergunta “O que faz uma pessoa formada em Engenharia Agronômica?”, ninguém melhor que um especialista da área com anos de atuação. Assim sendo, chamamos o professor Ronan Pereira Machado, gestor acadêmico do curso de Engenharia Agronômica do Grupo UniEduK.  Ele também é diretor pedagógico da FAAGROH (Faculdade de Agronegócios de Holambra).

Em resumo, Ronan é Engenheiro Agrônomo formado pela ESALQ-USP, gerente-geral de uma empresa voltada à produção agrícola e consultor sobre gestão, sustentabilidade e planejamento estratégico no agronegócio. O docente possui mestrado em Fitotecnia, especialização em Gestão e Manejo Sustentável e trabalhou no projeto sobre Flora Fanerogâmica, junto ao Royal Botanical Garden KEW em Londres.

Além disso, ele atua, principalmente, nos segmentos do agronegócio e ambiental com ênfase em desenvolvimento e implantação de projetos, pesquisa, gestão de pessoas e administração em geral.

Nesse artigo, o professor responderá:

  1. O que faz uma pessoa formada em Engenharia Agronômica?
  2. Qual o benefício o engenheiro agrônomo traz para sociedade?
  3. Qual o valor do salário de um engenheiro agrônomo?
  4. Onde um engenheiro agrônomo pode atuar?

Vamos às respostas?

  1. Afinal, o que faz uma pessoa formada em Engenharia Agronômica?

O docente destaca que o Engenheiro Agrônomo atua no planejamento, organização e manutenção dos processos agrícolas.

Além disso, esse profissional é responsável por:

  • Técnicas de melhoramento do plantio;
  • Combate a pragas;
  • Colheita;
  • Armazenamento; e
  • Comercialização dos produtos de origem vegetal e animal.
  1. Qual o benefício o engenheiro agrônomo traz para sociedade?

O professor Ronan ressalta que, devido à competitividade do agronegócio internacional, o Engenheiro Agrônomo tornou-se  fundamental.

De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), durante o encontro anual Agricultural Outlook Forum 2023, as exportações de milho do Brasil devem passar de 47 milhões de toneladas para 69,1 milhões, em dez anos.

Também há previsão de aumento de exportação de soja e carnes bovina, suína e de frango até 2032/2033.

Inegavelmente, há um campo de atuação vasto e promissor para o Engenheiro Agrônomo a ser explorado a curto, médio e longo prazo.

Portanto, dá tempo de sobra de você se formar e contribuir com a sociedade, não apenas brasileira como também mundial.

Ah, e você pode, desde o início do curso, estagiar e já começar o quanto antes a dar sua contribuição ao mundo.

Todavia, é importante que você saiba que o Engenheiro Agrônomo cuida do manejo das culturas de uma propriedade, desde o planejamento até a finalização da venda da produção.

Igualmente, ele é capaz de agregar valor à prática agrícola ao considerar o desenvolvimento sustentável com ciência e tecnologias específicas.

Isso é especialmente relevante no caso do Brasil, que possui extensão continental e combina clima tropical com outros mais temperados”, enfatiza o professor Ronan.

  1. Qual o valor do salário de um engenheiro agrônomo?

Outra informação relevante que você precisa ter em mente é quanto ganha um Engenheiro Agronômo. O professor diz que:

  • Para 40 horas semanais (8h/dia): o piso salarial é de R$ 9.350,00 (nove mil e trezentos e cinquenta reais); e
  • Para 30 horas semanais (6h/dia): o piso salarial é R$ 6.600,00 (seis mil e seiscentos reais).
  1. Onde um Engenheiro Agrônomo pode atuar?

O professor Ronan salienta que a área é muito ampla e oferece diversas possibilidades de atuação.

Seja no setor privado, seja no público, na área acadêmica ou trabalhando como autônomo, o profissional encontra um mercado com muitas oportunidades e, na maioria das vezes, com um bom retorno financeiro”, afirma o docente.

  • Setor público

De acordo com o docente, o serviço público é um setor que oferece diversas opções para os profissionais dessa área. O agrônomo pode trabalhar em:

  • Instituições do governo, como o Ministério da Agricultura;
  • Organizações não governamentais (ONGs);
  • Cooperativas;
  • Secretarias municipais e estaduais;
  • Setor de fiscalização.

 

  • Iniciativa privada

A administração de propriedades rurais é um dos principais contextos da carreira de agrônomo na iniciativa privada”, explica Ronan.

Ele acrescenta que gerenciar todas as fases da produção vegetal e animal é uma das funções que esse profissional pode exercer em granjas, abatedouros, fazendas etc.

O Engenheiro Agrônomo também tem outras funcionalidades na iniciativa privada, como:

  • Auxiliar no combate às pragas; e
  • Manejar o solo e gerenciar a utilização de fertilizantes.

Além disso, ainda pode compartilhar seus conhecimentos para auxiliar no processo de:

  • Nutrição animal;
  • Melhora genética;
  • Processamento de produtos agropecuários; e
  • Administração rural.

“No setor privado, o engenheiro agrônomo tem a opção de trabalhar nas indústrias agropecuárias. Nesse segmento, o profissional auxilia nos trabalhos ligados à fabricação, armazenamento e distribuição de produtos, sempre prezando pela qualidade e aumento da produtividade”, complementa o docente.

 

  • Trabalho autônomo

A carreira de agrônomo abre um leque de opções para quem deseja trabalhar na iniciativa privada, no setor público, mas também, para os profissionais que preferem ter um negócio próprio”, destaca o professor.

Para ele, o trabalho de consultoria é uma das opções mais relevantes nesse segmento. “Devido ao baixo número de pessoas realmente especialistas nessa área no Brasil, o consultor se torna um grande ajudante das empresas”, diz.

Outras profissões autônomas também são boas opções para quem deseja atuar nesse setor. Muitos administradores rurais e agricultores podem contratar o agrônomo para:

  • Serviços como vistorias e laudos de perícia;
  • Assistente técnico;
  • Assessor em construções rurais;
  • Ou caso necessitem de receituário de agronomia.

 

  • Setor acadêmico

Por fim, o professor fala que trabalhar em instituições de ensino superior também é uma opção para diversos engenheiros agrônomos.

Obviamente, é preciso realizar novos cursos após a conclusão da graduação nessa área para se capacitar e ficar apto para transmitir seus conhecimentos. A função de pesquisador ou professor em universidades públicas ou privadas requer determinadas especializações”, finaliza o docente.

 

Saiba também:

Pular para o conteúdo