A imagem mostra o alumni e seu sócio, que participaram do evento QQSU, com o logo do Grupo UniEduK.

Grupo de alumni da UniFAJ recebe retorno positivo de banca avaliadora do evento QQSU

O alumni de Ciência da Computação do Grupo UniEduK Vitor Carretero e seu sócio Anderson da Silva Santos receberam propostas da banca avaliadora da 3ª edição do QQSU – Quem Quer Ser Um Unicórnio, iniciativa da Voe Sem Asas, aceleradora de (intra)empreendedores 

A participação na 3ª edição do QQSU – Quem Quer Ser Um Unicórnio, iniciativa da Voe Sem Asas, aceleradora de (intra)empreendedores, rendeu uma ampla rede de networking ao alumni de Ciência da Computação do Grupo UniEduK Vitor Carretero e seu sócio Anderson da Silva Santos. Eles foram selecionados para o evento na primeira fase e mesmo não estando entre os cinco finalistas, receberam um ótimo retorno da banca avaliadora. 

Não fomos classificados, porém o feedback foi tão positivo, que recebemos propostas da própria banca avaliadora. Estamos estudando ainda os próximos passos, o que podemos dizer é que vamos iniciar uma fase de testes fechada de uma versão alfa do app para ajustar à realidade do mercado“, revela Anderson.

Incentivados pelo gestor da Escola de Negócios, professor Rogério Gomes, eles criaram um aplicativo de gerenciamento da rotina do personal trainer, com agenda e prescrição de treinos em conjunto ao financeiro. O app ainda está passando por um  processo de registro de marcas e patentes. 

O diferencial é que queremos criar um ecossistema com integração entre aluno, personal trainer e professores acadêmicos que vão integrar uma plataforma de ensino, para melhorar a capacidade técnica do personal trainer.” destaca Anderson. 

Vitor conta que foi convidado por Anderson para ser sócio no aplicativo e, desde o começo, ajudou-o a modelar o negócio. “Meu foco hoje é relacionado à tecnologia do App, na tomada de decisões e implementação dessa parte do App da startup”, diz.

O alumni também fala sobre sua participação do QQSU. “Eu diria que é difícil escolher qual foi a maior experiência em si, mas uma que certamente ficou na memória foram os pitchs, nos quais evoluímos e aprendemos a transmitir, de uma maneira mais rápida e eficiente, a nossa missão e modelo de negócio, em um curto espaço de tempo” ressalta. 

Por fim, Vitor salienta sobre a rede de contatos profissionais que fez durante o evento. “Como dizem, networking sempre é bom e nunca é demais, ainda mais que conseguimos nos conectar com facilitadores de negócios os quais se interessaram por nossa ideia. Já estamos conversando também com várias outras startups de vários outros segmentos, é sempre válido manter ótimas relações com pessoas de outros campos, porque você nunca sabe de onde surgirá uma oportunidade. Um exemplo disso é o prof. Rogério da UniFAJ, se não o tivéssemos conhecido, jamais teríamos sido indicados para este evento”, conclui. 

 

Confira notícias do curso de Ciência da Computação do Grupo UniEduK
Pular para o conteúdo